Parece que os bons ventos estão soprando a favor de Kaká. O meia tem estado bem próximo ao novo treinador da equipe do Real Madrid, Carlo Ancelotti. O técnico veio para substituir José Mourinho e está dando novas chances ao jogador, situação bem diferente a que ocorria quando Mourinho estava dirigindo o time.

Bom diferente da situação apresentada pela imprensa espanhola, Kaká tem sim espaço no time e está participando ativamente das primeiras atividades dirigidas pelo novo técnico nesta etapa de pré-temporada.

Outro “faixa” do brasileiro seria  Zinedine Zidane, atual auxiliar técnico do clube merengue. Eles estariam conversando e se entendendo muito bem, fechando parceria.

O atleta do Brasil está bem animado com a vinda de Ancelotti para o time, isto porque o técnico sempre deixou claro o interesse em trabalhar com Kaká, principalmente pelo fato de conhecer o seu futebol de perto, visto que se conhecem a seis anos, desde que os dois trabalhavam no Milan entre os anos de 2003 e 2009.

O brasileiro está sentindo-se muito bem com a sua equipe a ponto de publicar uma foto dele e de seus colegas, todos animados.

Kaká está no Real Madrid desde 2009, entretanto, não conseguiu muitas oportunidades no time, isso provavelmente será contornado de agora em diante.

Por Melina Menezes.


Agora é oficial: Carlo Ancelotti é o novo treinador do Real Madrid, e o italiano afirmou que pretende observar Kaká, antes de dar o aval ou não, para que o meia-atacante permaneça no grupo; no entanto a imprensa espanhola tem declarado que a intenção da diretoria do Real Madrid é negociar o brasileiro, devido ao alto salário deste.

Caso não permaneça no Real, o destino mais provável de Kaká seria seu ex-clube, o Milan, que de acordo com vários periódicos italianos, prefere o japonês Keisuke Honda ao brasileiro; um dos motivos seria a idade do asiático, 27, quatro a menos que Kaká.

Honda é titular absoluto da seleção japonesa, que disputou, recentemente, a Copa das Confederações, no Brasil, sendo eliminada ainda na primeira fase; o jogador atua pelo CSKA da Rússia, e custaria "apenas" 2 milhões de euros aos cofres italianos.

Pesa a favor de Kaká o fato do brasileiro ser ídolo da torcida do clube, já que neste ganhou inúmeros títulos, e em 2007 foi considerado o melhor jogador de futebol do mundo, prêmio concedido pela FIFA. Kaká jogo no Milan entre os anos de 2003 a 2009.

Por Vinicius Cunha


O dirigente de marketing do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, esteve em Miami recentemente, e reuniu-se com Bosco Leite, pai e empresário de Kaká, demonstrando interesse em contar o filho deste, jogador do Real Madrid, porém ouviu que a princípio o atleta não tem interesse em vestir a camisa do Mengão.

A possível negociação contaria com a ajuda da fornecedora de material esportivo Adidas, que patrocina o ex-jogador do São Paulo e também o Real Madrid. O curioso é que o Flamengo é patrocinado pela Olympikus, mas o início dessa "novela" pode ser indícios até mesmo de uma nova mudança no clube.

É notável a necessidade de atletas de peso no elenco flamenguista, porém de acordo com a diretoria, novos jogadores só deverão desembarcar na Gávea no início do Campeonato Brasileiro; enquanto isso caberá a Felipe e Léo Moura segurar a "onda", pois são dois dos jogadores mais experientes do time.

Como a transferência com ex-número 1 do mundo parece não vingar, a diretoria já pensa num plano B, porém nenhum nome de peso foi noticiado.

O Flamengo somou apenas 4 pontos na Taça Rio, em 4 jogos disputados, e corre sério risco de ficar de fora da segunda fase da competição.

Por Vinicius Cunha


A Seleção Brasileira faz dois amistosos na Europa no mês de outubro e o técnico Mano Menezes anunciou quem serão os jogadores que defenderão o manto verde e amarelo contra a Suécia e o Japão.

A grande surpresa da lista de Mano foi o retorno do meia Kaká. Pouco aproveitado no Real Madrid, o jogador volta a ter uma chance na Seleção depois de dois anos. A última partida dele pela Seleção foi contra a Holanda, ainda na Copa de 2010, quando o Brasil disse adeus à Copa da Africa do Sul. Na época, o técnico ainda era o Dunga.

Quanto as demais posições não houve surpresas, com a excessão do técnico ter convocado apenas um jogador por clube brasileiro, para não atrapalhar muito a sequência dos clubes no Campeonato Brasileiro. O treinador afirmou que fez o possível para não interferir muito nas equipes nacionais, sem também causar prejuízo para a Seleção. Em novembro, época em que há mais uma data disponível para o amistoso, ele não convocará nenhum jogador que atua no Brasil, por já estar próximo da decisão do Campeonato.

Os jogadores que preocupam os clubes que estão na briga pelo título e pela Libertadores, são: Lucas, do São Paulo, Jeferson, do Botafogo, Victor, do Atlético Mineiro, Dedé, do Vasco da Gama, Fernando, do Grêmio, Leandro Damião, do Internacional e Thiago Neves, do Fluminense.

Por Paulo B.





CONTINUE NAVEGANDO: