Que o futebol brasileiro vem decaindo ano a ano, infelizmente todos nós já sabemos. Nos dias de hoje, o torcedor brasileiro, aquele que ama o esporte em si e não somente seu clube de coração, vê uma das piores (senão a pior) fases do futebol nacional atualmente. O país da bola hoje, conta nos dedos os craques que jogam aqui.

Os amantes do futebol de nossos dias estão carentes de ídolos. Olhando para o cenário nacional atual, temos: Rogério Ceni (irá pendurar as chuteiras), Fred (apesar da torcida brasileira ainda estar com a imagem do Fred da copa), Ganso, Robinho, Pato (pelo nome), Luís Fabiano (também pelo nome) e, não no mesmo patamar que os outros, Diego Cavalieri, Victor, Fábio e Jefferson. Jogadores como D’Alessandro, Guerrero, Montillo, dentre outros, não entram na lista por serem estrangeiros.

Fazendo esta reflexão, vemos o quão escasso está o Brasil de craques atuando por aqui. O que temos hoje são promessas e mais promessas. A necessidade financeira dos clubes faz com que estes liberem suas joias raras precocemente. As categorias de base, que deveriam ser a fábrica de craques, são mal observadas pelos treinadores dos clubes profissionais e por isso nunca revelam jogadores acima da média.

O campeonato brasileiro deste ano tem tudo para ser um dos mais fracos tecnicamente já visto. Isso é muito ruim até mesmo para a confederação e as emissoras de televisão, que deixam de ter um lucro maior por falta de atrações em campo. Como ter visibilidade do público europeu se não há nada de especial aqui?

Hoje o torcedor vai ao estádio por amor ao clube apenas, e não mais para ver craques jogarem. O pior de tudo, é que no momento não há nenhum sinal de que as coisas vão melhorar. Enquanto os clubes não se arriscarem em contratações de brasileiros que atuam fora, não haverá mudanças no nível técnico atual.

Por Mattheus de Sousa Araújo

Rog?rio Ceni e Ganso

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: