A Fifa vai distribuir 50 mil ingressos de jogos da Copa do Mundo do Brasil para operários que trabalharam nas obras dos estádios. De acordo com o órgão máximo do futebol, tal gesto representa forma de agradecer por conta da reforma ou construção das doze arenas. 

Em termos práticos, os operários ficaram surpresos com a decisão que não era esperada, mas aconteceu e foi anunciada em entrevista coletiva, depois de encontro entre os organizadores do COL, no Maracanã, na quinta-feira, dia 27 de março.

Construtoras que participaram do projeto possuem a responsabilidade de receber os ingressos da Fifa e distribuir entre os funcionários. Regras para entregar os ingresso são instituídas de acordo com políticas de cada empresa.           

Ingressos a seres distribuídos aos operários que trabalharam nos estádios da Copa do Mundo se destinam para 47 partidas da primeira fase, tirando o jogo de estreia, no dia 12 de junho, na cidade de São Paulo, entre Brasil e Croácia.

De acordo com o COL, as políticas para definir a quantidade de ingressos a serem concedidos levou como base principal a quantia total de operários que trabalharam nos estádios.

Os ingressos devem chegar às mãos dos operários por volta da metade do mês de maio. Ao levar em conta que as construtoras distribuem os ingressos, então trabalhadores não precisam retirar no Centro de Distribuição.

Até os dias atuais foram colocados à venda quase 2,7 milhões de ingressos para os jogos da Copa do Mundo no Brasil em 2014. A disposição dos bilhetes acontece em ciclos de remessas e na primeira etapa foram alocados quase 300 mil.

Por fim, vale ressaltar que deficientes físicos, pessoas com mobilidade reduzida, beneficiários do Programa Bolsa Família, estudantes e idosos têm direito de comprar ingressos especiais com preços menores do que a quantia cobrada no valor integral de forma oficial.

Por Renato Duarte Plantier


Com a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, o Brasil ganhou novos estádios, mais modernos e com novas características. Agora, é comum nos estádios as cadeiras numeradas e a maior proximidade com o gramado, o que requer mudanças no comportamento do torcedor.

É esperado que o torcedor se comporte de forma mais organizada, por isso, o “Padrão Fifa” foi tão enfatizado durante a Copa das Confederações. Porém, no primeiro jogo após a competição, um torcedor do Fluminense invadiu o gramado da Arena Pernambuco na partida contra o Botafogo.

Não bastasse isso, outras manifestações negativas também ocorreram no jogo entre Flamengo e Coritiba, em Brasília, no estádio Mané Garrincha. Lá, um torcedor jogou um copo no campo, mas não comprometeu a partida.

Tanto na invasão quanto no episódio do copo, os torcedores foram retirados do estádio, já que as novas estruturas permitem a identificação do torcedor que não se comportar de maneira adequada.

Nos casos em que o torcedor é identificado, o time não é punido. Porém, quando ele não é identificado, o clube pode ser punido com multas e até mesmo com perdas de mando de campo.

Por Robson Quirino de Moraes


Os primeiros resultados da pesquisa realizada com turistas que viajaram para assistir aos jogos da Copa das Confederações mostraram que as pessoas não ficaram satisfeitas com o preço da comida dentro dos estádios. Segundo a pesquisa, 78% dos entrevistados responderam que o preço da comida era ruim ou muito ruim. Outro ponto de reclamação foi em relação ao trânsito nas cidades que foram sedes dos jogos.

A pesquisa foi realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), a pedido do Ministério do Turismo. 

Das 14 mil pessoas entrevistadas, 10 mil eram turistas que estavam nos arredores dos estádios, nos locais de retirada de ingresso, nos comércios, nos estabelecimentos públicos e nos hotéis das seis cidades que foram sede. Os outros 4 mil entrevistados estavam nos aeroportos de São Paulo, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Fortaleza e Belo Horizonte.

Em mais da metade dos serviços avaliados, as respostas mostraram 50% de satisfação. Os entrevistados foram questionados sobre o que mais gostaram na viagem. Neste tema, 8,1% respondeu que gostou mais da qualidade e beleza dos jogos. Já 9,6% respondeu que o melhor são as belezas naturais da região. Por fim, 10,1% considerou que o melhor é a condição geral da cidade sede.

Por Jéssica Posenato


Allianz ParqueNesta quinta-feira, dia 6 de junho, foi anunciado pela empresa Allianz o nome do novo estádio do Palmeiras.

A empresa, que adquiriu os naming rights do estádio, realizou uma enquete para definir o novo nome do estádio. A votação da enquete se encerrou esta semana e o nome vencedor foi “Allianz Parque”.

De acordo com a Allianz, o novo nome do estádio foi definido após ele receber 89% dos votos. Os outros nomes sugeridos, “Allianz Center” e “Allianz 360°”, receberam respectivamente &% e 4% dos votos.

O anúncio do nome da nova arena do Palmeiras foi feito no Centro de Treinamento do clube. Lá, Edward Lange (presidente da Allianz) confirmou o nome do estádio. Além do executivo da Allianz, também estavam presentes no evento o ex-goleiro Marcos, o ex-meia Ademir da Guia e o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre.

Inicialmente, quando a votação foi aberta, os nomes não agradaram boa parte dos torcedores palmeirenses, que queriam que o estádio se chamasse “Allianz Palestra” (em referência ao antigo nome “Palestra Itália”), porém a opção não foi inclusa pela empresa. Com isso, os torcedores tiveram menor resistência ao nome “Allianz Parque”, que foi o escolhido.

Para quem não sabe, a negociação dos naming rights do estádio se concretizou após a Allianz oferecer R$ 300 milhões ao Palmeiras. Com o acordo assinado, a empresa poderá manter o nome do estádio por 20 anos, prorrogáveis por mais 10.

Vale lembrar que a Allianz já é dona de outros 4 estádios, o Allianz Arena (na Alemanha), o Allianz Stadium (na Austrália), o Allianz Parque (na Inglaterra) e o Allianz Riviera (na França).


A Federação Mineira de Futebol reuniu-se com diretores dos dois clubes finalistas do Campeonato Mineiro: Cruzeiro e Atlético-MG.

Na reunião, ficou decidido que a primeira partida da final será disputada no Independência, no próximo domingo; e a segunda será no Mineirão, dia 19 de maio.

Em ambas as partidas, torcedores dos dois clubes estarão presentes. O time mandante terá direito a 90% da carga de ingressos, enquanto o visitante ficará com o restante, 10%.

O Cruzeiro jogará as partidas da final com a vantagem de poder empatar no número de pontos e também de saldo de gols, que mesmo assim ficará com o título, pelo fato de ter feito melhor campanha na primeira fase.

O Galo ainda não perdeu no Independência, depois que o estádio foi reinaugurado, e seus torcedores têm pregado que "caiu no Horto está morto"; já o Cruzeiro ainda não perdeu no ano de 2013, e vem de 12 vitórias seguidas.

Quem tem mais títulos do Campeonato Mineiro é o Atlético, com 41 no total, sendo o atual campeão. O Cruzeiro tem 35 conquistas, e é quem mais tem títulos no século 21, em um total de seis.

Por Vinicius Cunha





CONTINUE NAVEGANDO: