Nessa terça-feira, dia 18 de novembro de 2014, um clássico do futebol europeu aconteceu na cidade de Vigo (Espanha), no Estádio de Balaídos, entre as seleções da Espanha e Alemanha.

O jogo foi um amistoso de seleções que, mesmo sendo um clássico europeu, também foi o confronto entre os dois últimos campeões mundiais;  a Espanha campeã da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, e a Alemanha campeã da Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil. A partida foi uma reprise da semifinal disputada entre as seleções na Copa da África do Sul, porém o resultado foi o inverso, 1 x 0 para a Alemanha.

Como era de se esperar, mesmo com a Espanha não passando por um bom momento, a partida foi bem equilibrada, demonstrando que ambas as seleções possuem bons jogadores à sua disposição. A Espanha teve a primeira chance de gol, com uma jogada de Nolito, mas o goleiro Zieler espalmou a bola para a linha de fundo. O goleiro Casillas também foi testado aos 20 minutos do primeiro tempo, com uma jogada da dupla do Bayern de Munique, Götze e Müller, mas o goleiro espanhol defendeu bem o gol.  A primeira etapa do jogo terminou sem gols. Na volta do intervalo, as equipes tiveram chances de gol, mas a única que se concretizou foi já aos 43 minutos do segundo tempo, em um chute de fora da área de Toni Kroos, que finalizou o placar da partida em 1 x 0 para a Alemanha.

A Espanha, o time da casa, comandada por Vicente Del Bosque, entrou em campo com Casillas no gol, com os zagueiros Piqué e Sergio Ramos, os laterais Azpilicueta e Juan Bernat, os volantes Busquets e Bruno Soriano, no meio de campo Raúl Garcia (único que recebeu cartão amarelo no jogo) e Isco, enquanto que no ataque Morata e Nolito.

A seleção da Alemanha contou com Zieler como goleiro, Höwedes e Mustafi na zaga, os laterais Rüdiger e Durm, Khedira e Toni Kross como volantes, Götze, Sebastian Rudy e Thomas Müller no meio de campo e o atacante Volland. O time é comandado pelo técnico Joachim Löw.

Por Rannier Ferreira Mendes

Espanha x Alemanha

Foto: Divulgação


A fúria confirmou o favoritismo ao vencer a seleção italiana na semifinal da copa das confederações, garantindo sua vaga para a final do torneio intercontinental. A classificação foi muito mais complexa do que o esperado, uma vez que só se confirmou na disputa de pênaltis.

No primeiro tempo, embora a Espanha tivesse mantido sua tradicional posse de bola, a azurra foi mais agressiva, tendo finalizado nove vezes contra o gol dos espanhóis que, por sua vez, chutaram apenas duas vezes contra o gol de Buffon.

Contudo, Alberto Gilardino, substituto de Mário Balotelli, não estava inspirado, assim como seus colegas de equipe, já que a Itália não conseguiu furar as redes de Casilias. O segundo tempo, ficou marcado pelo nítido desgaste físico dos jogadores, o que ocasionou uma série de erros de passes dos dois times, bem como substituições motivadas pelo cansaço.

É importante lembrar que os jogadores europeus não estão acostumados a enfrentar um calor igual do nordeste brasileiro, isso sem falar na exaustão decorrente do fim da temporada europeia. Sem grandes sustos na etapa final, o jogo foi para prorrogação.

Por incrível que pareça, ambas seleções tiveram boas oportunidades tanto na etapa inicial como final, principalmente a Espanha. Nos últimos minutos, a fúria quase marcou!

A disputa de pênaltis foi extremamente equilibrada, já que ambas seleções bateram com perfeição as cinco primeiras cobranças, deixando os grandes goleiros das duas seleções frustados. No entanto, Bonucci, visivelmente tenso, mandou a bola longe do gol.

Jesus Navas convertou o pênalti espanhol, colando a fúria na grande final.

Por Renan Valmeida do Nascimento


Em um dos jogos realizados neste domingo pela Copa das Confederações, a Espanha venceu a Nigéria fechando um placar de 3 a 0.

No jogo que ocorreu no estádio Castelão (Fortaleza), havia um clima de revanche pelos espanhóis devido a uma derrota sofrida na Copa do Mundo sediada na França em 1998. Naquela ocasião o país africano venceu “La Fúria” na primeira partida da Copa.

Aos quatro minutos do primeiro tempo, Jordi Alba abriu o placar marcando 1 a 0 para a Espanha. No segundo tempo, Torres balançou a rede novamente. Nos últimos momentos da partida, aos 44 minutos, Alba fez o seu segundo gol e concluiu o placar em 3 a 0.

Com este resultado, a Espanha garantiu o primeiro lugar no Grupo B e enfrentará a Itália na semifinal agendada para esta quinta-feira, 27 de junho, às 16h, no mesmo estádio deste jogo, Castelão.

O clássico do futebol da Europa promete oferecer grandes emoções visto que a Azurra entrará em campo com “sede de vingança” pela perda do titulo europeu para a Espanha. Maggio afirma que a Itália tem condições de superar o futebol espanhol e sair vencedor nessa partida.

Por Melina Menezes


O jogo na Arena Pernambuco foi um espetáculo. A seleção da Espanha dominou todo o jogo sem dar muitos espaços ao time uruguaio. O jogo acabou em 2 a 1 para o time espanhol, que envolveu bem a equipe adversária com bom toque de bola e agilidade. Já a Celeste não esboçou muita reação, mas marcou um gol para não fazer feio na estreia na Copa das Confederações.

Durante o primeiro tempo, a Espanha foi muito superior ao Uruguai e mostrou porque é a favorita para conquistar a Copa das Confederações. A atual campeã mundial marcou os dois gols ainda no primeiro tempo. O primeiro com Pedro e o segundo com Soldado.

O primeiro gol teve um pouco de sorte. Aos 20 minutos, Pedro aproveitou o rebote depois do escanteio e chutou. A bola desviou em Lugano e enganou o goleiro Muslera. O Uruguai tentou uma reação, mas não adiantou muito. O time parecia afoito com o placar e começou a entrar com faltas duras. O segundo gol saiu de um passe de Fábregas para Soldado, que desviou de dois zagueiros e marcou o segundo da Espanha.

No segundo tempo, os uruguaios descontaram em cobrança de falta de Luis Suáres. O atacante bateu a esquerda do gol, sem chances para Casillas.

O próximo jogo da Espanha é no Maracanã contra o Taiti. Já o Uruguai irá enfrentar a Nigéria na Fonte Nova. 

Por Robson Quirino de Moraes


Pela primeira rodada do Grupo B da Copa das Confederações 2013, jogam Espanha vs. Uruguai.

Espanha-Uruguai-Suarez-Carles-JaafarAFP_LANIMA20130206_0069_26A partida será disputada na lindíssima arena de Recife, que foi totalmente remodelada para receber seleções importantes, especialmente para a Copa do Mundo de 2014.

A Espanha é a grande favorita, não só para ganhar este jogo, como para se consagrar a grande campeã da Copa das Confederações 2013.

Forlan (melhor jogador da Copa de 2010), que vem fazendo um belo trabalho no Internacional (de Porto Alegre RS), não será titular nesta partida. No lugar dele entra Suárez.

A Espanha ainda não tem o título da Copa das Confederações, e todos podem ter certeza de que lutarão o máximo para conseguirem este título que lhes falta.

O Uruguai, atual campeão da América, não deve desapontar e pretende demonstrar bom jogo na noite deste domingo.

O jogo será transmitido ao vivo pela Rede Globo (emissora oficial) e também por outros canais fechados (caso você possua TV por assinatura).


Após empatar em casa com a Finlândia, a Espanha visitou a França, no "Stade de France", e em respostas às críticas, venceu a seleção do craque Benzema por 1 a 0, gol de Pedro Rodríguez, e assumiu a ponta do grupo I.

Com a vitória, a seleção espanhola chegou aos doze pontos e agora depende apenas de si mesma para conseguir uma das vagas para a Copa de 2014. A Fúria, caso consiga a vaga, disputará pela primeira vez como atual campeã, já que venceu em 2010.

Antes da disputa do Mundial, a seleção comandada por Vicente del Bosque virá até o Brasil em junho, onde jogará a Copa das Confederações, como detentora do título da última Copa do Mundo.

Tanto a França quanto a Espanha, jogarão pelas Eliminatórias da Copa somente no mês de setembro, quando acontecerá a sexta rodada (de um total de oito), sendo os dois jogos fora de casa, com os espanhóis visitando a Geórgia e os franceses a Finlândia; o outro país da chave é Belarus.

As Eliminatórias para a Copa do Mundo 2014 será disputada até 15/10/2013, quando serão definidas as 13 seleções classificadas, que representarão o continente europeu.

Por Vinicius Cunha


Estreando o uniforme que será utilizado na Copa das Confederações que será realizada no Brasil em 2013, a Espanha goleou sem dificuldades a seleção do Panamá por 5×1

O que chamou a atenção nesse confronto foi a comemoração feita pelo panamenho responsável por marcar o único gol de sua equipe. Ao fazer o gol de honra da seleção do Panamá, o volante Goméz comemorou o gol estilo Cristiano Ronaldo, pedindo calma à torcida, levando a mesma ao delírio, como se estivesse comemorando um título.

A grande novidade da tarde foi a presença do atacante Villa, presente na equipe após um ano exato longe dos gramados, pois estava em recuperação de uma fratura na tíbia, que o afastou dos gramados por cerca de 10 meses. O atacante iniciou a partida em grande estilo, sendo nomeado o capitão da fúria, pelo técnico Vicente Del Bosque.

Os gols da partida foram marcados por Pedro, aos 16 minutos; Villa, aos 29 minutos; Pedro novamente, aos 43 minutos; Sergio Ramos, aos 36 e Susaeta, aos 38 minutos definiram a partida a favor da Fúria, sendo que Gomés, aos 41 minutos da etapa final.

Apesar da goleada, a festa dos torcedores estava feita.

Por Renato Benevenuto


Depois de partida épica realizada na Polônia entre Espanha e Portugal os espanhóis se deram melhor ao vencer nos pênaltis pelo resultado de 4X2.

Os últimos campeões da Europa e do Mundo estão esperando o resultado da segunda semifinal disputada entre Alemanha e Itália para disputar a final do torneio mais importante do velho continente desde 1960, com primeira edição vencida pela extinta União Soviética.

A final está programada para as 15h45, horário de Brasília. A Espanha teoricamente conta com vantagem por ter um dia adicional para descansar, fator que gera reclamações entre alemães e italianos candidatos à vaga restante na final.

A dúvida do time da Espanha está na escalação do ataque. Dependendo do adversário pode começar com uma entre três opções: Reyes, Pedro e Fernando Torres, atacante de alto valor na Europa que está devendo depois das atuações que o consagraram na conquista da Copa do Mundo 2010.

O técnico Vicente Del Bosque promete manter mistério até quinze minutos antes da decisão, quando a lista de escalados precisa ser revelada publicamente.

Por Renato Duarte Plantier   





CONTINUE NAVEGANDO: