Há um ano, o lateral-direito Fagner trocava o Vasco da Gama pelo Wolfsburg, da Alemanha. E confirmando o "dito" popular que o bom filho a casa torna, o jogador passará por exames médicos no clube carioca e se aprovado será integrado mais uma vez ao elenco, após o acerto de empréstimo entre os clubes.

Na época que Fagner deixou o Vasco, vários jogadores como Diego Souza e Rômulo, adotaram postura semelhante e ocorreu uma espécie de debandada no clube.

Na primeira passagem de Fagner pelo Vasco, entre os anos de 2009 a 2012, o lateral-direito fez 149 partidas com a camisa cruzmaltina, chegando a marcar 14 gols.

Com a confirmação do acerto, Fagner seria a 21ª contratação do Vasco para a temporada 2013, incluindo nesta soma o atacante Willie, que também está próximo de um acerto e viria do Vitória, da Bahia.

Uma dos motivos do Wolfsburg está abrindo mão de Fagner é o fato de o lateral não estar na sua melhor fase, já que apesar de começar sua trajetória no clube com certo destaque, caiu de produção no fim da temporada alemã e já não vinha sendo aproveitado com regularidade, tornando-se a segunda opção para a posição.

Por Vinicius Cunha


Juninho foi apresentado nesta sexta-feira em São Januário, mais uma vez retornando ao lar.  Muito feliz, o Pernambucano recebeu do jogador Pedro Ken a camisa de número 8 e explicou as razões que o fizeram novamente optar por defender as cores do Vasco da Gama.

O craque e exímio cobrador de faltas espera voltar a atuar no Maracanã e apresentar o já conhecido futebol de alta qualidade. Aos 38 anos, Juninho já pensa sobre o fato de se aposentar, porém, o ídolo não se aprofunda no assunto e pensa apenas em ajudar o Vasco em suas conquistas até o fim desse ano.

O agora camisa 8 cruzmaltino, não tem em seu atual contrato dados que tratem de valores salariais, o que se sabe é que as partes envolvidas negociaram a quitação de dívidas antigas. Essas devem ser pagas em um número pré-definido de parcelas.

Jogador profissional a cerca de 20 anos, o craque pensa em deixar de lado as questões salariais no momento, pensando apenas em acertar o que era de seu direito no passado e se aposentar no clube, afinal, ele é tido como ídolo e possui um carinho especial pelo Vasco.

Na carteira de trabalho do atleta, irá constar o valor de um salário mínimo (R$ 678,00), que serve para comprovar o vínculo empregatício entre as partes.

Juninho ainda explicou que o motivo de ter deixado o New York Red Bulls foi por um desentendimento com o técnico do clube norte-americano. Além disso, o jogador afirmou que ao sair do antigo time, pensava em parar, mas um contato feito pelo presidente do Vasco o convenceu a encerrar sua vitoriosa carreira no clube de São Januário. 

Por Natália Mayrink De Lazzari


Se as coisas seguem em reconstrução em São Januário, o Vasco decidiu não perder tempo e colocou em campo suas novidades para a sequência do Campeonato Brasileiro. Recém-contratados, o atacante André, ex-Santos e o meia-atacante colombiano Montoya, apresentado no início da semana. Os dois contratados foram escalados pelo treinador Paulo Autuori para o amistoso diante o Madureira, às 09h30 do sábado (22), em Conselheiro Galvão.

Como boa oportunidade para observar o elenco, o treinador definiu a equipe reserva que irá a campo com Michel Alves, Nei, Thadeu Paraguai, Rafael Vaz e Dieyson, Abuda, Jhon Cley e Filipe Soutto; Montoya, Fabio Lima e André.

Mesmo com poucos treinamentos juntos, o entrosamento entre André e Montoya foi elogiado pelo treinador Paulo Autuori, que se mostrou entusiasmado por poder contar com dois atletas de alto nível para tentar melhorar a situação do Vasco em 2013.

Outro ponto positivo foi o retorno do lateral Nei, recuperado de uma lesão no joelho. O Vasco não está parado na folga da Copa das Confederações e venceu o América por 4 a 0 em jogo amistoso. A diretoria planeja mais um amistoso que deverá ser anunciado em breve. Especula-se nos bastidores que seja um clube da Série B do Campeonato Brasileiro.

Por Marcos Junior


Quatro vezes campeão brasileiro, uma vez campeão da Libertadores e da Copa do Brasil, além de diversos outros títulos, o Vasco vive uma das crises mais graves da sua história, tanto que alguns arriscam dizer que nunca viram o clube tão mal como está atualmente.

Sem dinheiro para pagar salários e despesas simples, o clube vem se agarrando em empréstimos e doações feitas por torcedores ilustres. A situação é tão ruim que até a torcida resolveu ajudar, a ideia é reunir 100 mil torcedores que doem 20 reais por mês para que o cruzmaltino receba uma receita maior.

A ausência de patrocinadores e a perda de credibilidade por parte da marca fizeram com que empresas corram do Vasco, uma vez que investir no Gigante da Colina é considerada uma atitude de risco por parte dos empresários.

Ciente de que precisa reforçar o elenco, a Diretoria vem correndo atrás de nomes que possam chegar e assumir a posição. Nas últimas semanas especulou-se o nome de Nilmar, Kaká, Conca, Grafite e de Amauri.

O último parece ter entrado em pauta e há quem diga que o brasileiro virá jogar no Gigante da Colina, no entanto, a negociação não é simples e a Diretoria já adiantou que é uma situação de extrema dificuldade.

Por Gabriel Frigini Reis


Sem dinheiro, o Vasco tem usado a criatividade para pelo menos desviar o foco da crise que está instalada em São Januário. Além de promessas e mais promessas de futuros patrocinadores, construção de um CT, modernização do estádio, entre outros, a Diretoria agora resolveu apostar na divulgação de supostas contratações que o cruzmaltino estaria costurando.

Um clube do tamanho do Vasco pode com certeza sonhar com uma grande quantidade de jogadores famosos, no entanto, nessa atual situação, o máximo que o time consegue são atletas de divisões mais baixas ou então que estejam encostados em times da Série A.

Se você for analisar, o elenco atual do Vasco da Gama é composto em sua maioria por jogadores que não deram certo em seus antigos clubes, dentre esses nomes podemos citar Renato Silva, Leonardo, Pedro Ken, Sandro Silva, Thiago Feltri, Felipe Bastos, Carlos Alberto, entre outros jogadores.

Voltando a questão dos reforços, em um momento como esse, em que o clube não tem dinheiro nem para pagar os salários de jogadores e funcionários, a Diretoria vir a público por meio de René Simões e dizer que tentou trazer nomes como Kaká e Nilmar é querer desviar o foco demais.

Por Gabriel Frigini Reis


O Vasco começou 2013 ciente de suas limitações financeiras. Dessa forma, o clube correu atrás de reforços que aceitassem o projeto e que pudessem somar e fazer do cruzmaltino uma equipe ao menos competitiva para a temporada.

Alguns jogadores chegaram, no entanto, nenhum tem status de craque, sendo em sua maioria considerados apostas. Entre as contratações estão nomes conhecidos pelos torcedores, como é o caso de Leonardo, Pedro Ken, Sandro Silva e Fillipe Soutto, jogadores que possuem certa experiência, mas que não conseguiram se firmar em seus antigos clubes.

Para dar mais corpo a equipe e poder contar com jogadores experientes, a diretoria foi atrás do lateral direito Nei e do atacante Zé Love. No entanto, após semanas de negociações, as coisas não andaram e os dois atletas estão descartados.

Para seus lugares, a diretoria espera anunciar dois jogadores, um deles deve ser o lateral direito Nelson, que atualmente defende o Bétis da Espanha.

Para o ataque, o equatoriano Carlos Tenório acertou sua renovação e deve ser o titular para 2013.

Lembrando que o Vasco venceu seu primeiro desafio no ano. A equipe de São Januário derrotou o Ajax da Holanda por 1 x 0, gol marcado por Wendel. O jogo marcou a despedida de Pedrinho.

Por Gabriel Frigini Reis





CONTINUE NAVEGANDO: