Na última quinta-feira (07/03), a Conmebol revogou parte da pena que havia aplicado ao Corinthians devido a tragédia ocorrida em Oruro em sua partida de estreia na Libertadores da América contra o San Jose.

O clube poderá ter sua torcida em jogos dentro de casa, inclusive já na partida contra o mexicano Tijuana, na próxima quarta-feira. No entanto, durante 18 meses, o clube não terá torcida em jogos fora do Brasil.

Além disso, o clube alvinegro terá que pagar uma multa de 200 mil dólares (cerca de 394 mil reais) para a Conmebol, enquanto o San Jose (clube mandante na partida em que houve a tragédia) paga um valor de 10 mil dólares. Vale lembrar que o Corinthians tentou duas vezes anular a punição da organização sul-americana de futebol, sem sucesso.

A repercussão da notícia não foi positiva aos olhos dos bolivianos. Alguns jornais colocam que o “Corinthians ficará sem castigo” devido à sanção da pena. Em todo o caso, o Timão volta a ter sua torcida nos próximos jogos dentro de casa, um alívio para a torcida que não pôde presenciar de perto a vitória do clube na semana anterior contra o Milionários, por 2 a 0.

Por Willian Gonçalves


O Cornthians, enfim, saberá qual a punição sofrerá em definitivo pela Conmembol. Depois do ocorrido na Bolívia, a Confederação puniu o clube com a proibição de comparecimento de sua torcida por 60 dias, seja em casa ou fora, porém através de uma medida cautelar.

O Timão está no México, onde enfrentará o Tijuana, na mesma data do julgamento, e o clube espera ter vitória em dobro, dentro e fora do campo.

Já na semana que vem, o alvinegro paulista enfrenta novamente o clube mexicano, pelo returno da 1ª fase; desta vez no Pacaembu e espera contar com o apoio de sua torcida nas arquibancadas.

O processo não terá audiência, apenas o julgamento, pois o departamento jurídico do clube, querendo acelerar a decisão abriu mão daquela. Foi feita a defesa e o comitê avaliará todo o caso, para só depois dar o parecer.

A expectativa de torcedores, jogadores e diretoria é grande; e amanhã a torcida não estará restrita ao campo. O garoto boliviano, Kevin, não voltará mais, pois infelizmente faleceu, então, não é justo que uma nação pague pelo vacilo de apenas um torcedor. A justiça não pode ter coração e já se foi o tempo em que os inocentes pagavam pelos pecadores.

Por Vinicius Cunha





CONTINUE NAVEGANDO: