A situação financeira do Vasco da Gama não é das melhores, e além dos salários de jogadores e funcionários estarem atrasados, o clube ainda tem uma dívida com a Fazenda Nacional de R$ 52 milhões, que será parcelada, e assim as portas serão abertas para a chegada de um novo investidor.

A atual patrocinadora do Corinthians e do Flamengo, Caixa Econômica Federal, está na iminência de firmar um acordo com o Vasco, e já vem "costurando" o contrato há alguns meses, mas para isso acontecer precisa que o clube tenha em mãos as necessárias certidões negativas de débitos.

Os dirigentes vascaínos prometeram ao treinador Paulo Autuori que em breve chegarão novos reforços para o time, e que os salários serão colocados em dia. É esperado que entre cerca de R$ 20 milhões a partir do segundo semestre, oriundos de três rendas distintas: a renovação de contrato com a BFG; verba da Nissan, que deverá estampar sua logomarca nas costas da camisa do time; e a Caixa, que deverá ser a patrocinadora máster.

O total dos acordos firmados superarão os R$ 20 milhões, mas para o segundo semestre o montante será este mesmo.

Quem também patrocina o time da Colina é a Penalty e a TIM, mas o valor arrecadado não se compara com o que irá chegar dos novos patrocínios.

Por Vinicius Cunha


Caixa voltou a patrocinar o CorinthiansDepois de ter seu contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal suspenso, devido à ação do advogado gaúcho, Antônio Beiriz, que contestou os valores pagos, o Corinthians entrou com recurso e conseguiu restabelecer o contrato com a instituição bancária, logo, voltará a receber o dinheiro.

O recurso foi julgado na manhã de terça-feira, dia 21, pela Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). A votação teve a participação de três desembargadores, e um deles, o senhor Cândido Alfredo Silva Leal Júnior, manteve a posição contrária ao patrocínio, ao contrário dos outros dois, que foram a favor do acordo.

De acordo com o contrato, o Timão voltará a receber R$ 2,5 milhões ao mês, inclusive os pagamentos que estavam bloqueados, referentes aos meses anteriores. Além da Caixa Econômica Federal, o Corinthians tem outros patrocinadores, a saber, a TIM, Brahma, Fisk, Coca-Cola e Nike, totalizando cerca de aproximadamente R$ 62 milhões ao ano, sendo o maior valor arrecadado entre os clubes brasileiros.

Eliminado da Libertadores, pela Boca Juniors, agora o time concentra-se na disputa do Brasileirão, estreando no próximo sábado, contra o Botafogo, no Pacaembu. O Timão ainda disputará mais duas competições em 2013: a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil.

Por Vinicius Cunha


O Flamengo acertou contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal, mesma patrocinadora do Corinthians, e por isto receberá R$ 25 milhões por ano; o banco terá sua logomarca estampada no peito, num dos ombros e na perna esquerda do uniforme flamenguista. Nas costas a camisa do clube tem a estampa da Peugeot, e ainda há espaços nas mangas.

A duração do contrato será de um ano, ou seja, até maio de 2015, com opção de renovação por mais 12 meses; antes do acerto, foi necessário a aprovação do Conselho Deliberativo do clube, não colocando obstáculos.

De acordo com Luiz Eduardo Baptista, Bap, vice-presidente de marketing do clube, foram cerca de cinco meses de negociações, até a conclusão do contrato, o qual agregado aos outros patrocínios do clube chega ao montante de R$ 73 milhões anuais.

Inicialmente, a diretoria do Flamengo esperava fechar o acordo em R$ 35 milhões, em contrato que a Caixa poderia usar também os esportes olímpicos para divulgar seu nome, mas a negociação ficou "apenas" nos R$ 25 milhões e restrita ao futebol, inferior ao contrato do Corinthians, que recebe da Caixa R$ 30 milhões anuais.

Por Vinicius Cunha


No final do mẽs passado, mediante ação popular impetrada no TRF do Rio Grande do Sul, o Timão teve o pagamento referentes ao patrocínio com a Caixa suspenso, pelo fato do mesmo, supostamente, estar em desacordo com a Constituição do país.

Insatisfeita com a situação, a Caixa entrou com recurso para anular a decisão do tribunal gaúcho, porém não obteve sucesso e o banco continua impedido de patrocinar financeiramente o Corinthians.

É uma situação inusitada, pois o banco patrocina o esporte olímpico e vários clubes de futebol, entre eles o Atlético Paranaense. Para muitos torcedores corintianos, a liminar tem vínculo emotivo, ou seja, tem a 'mão' de anti-corintianos por detrás da "jogada".

O ano de 2013, que tinha "tudo" para ser prazeroso ao Corinthians, não está sendo muito fácil para a equipe paulista, pois além da suspensão do pagamento de patrocínio, o clube foi multado, não pôde ter o apoio da torcida em um jogo da Libertadores e ainda terá que jogar o resto da competição sulamericana sem poder veus seus "loucos" nas arquibancadas dos adversários, devido ao incidente ocorrido na Bolívia.

Os corintianos falam que tudo é mais difícil pra eles. Se for levado como base o ano corrente, poucos poderão discordar.

Por Vinicius Cunha





CONTINUE NAVEGANDO: