Nessa terça-feira, dia 18 de novembro de 2014, um clássico do futebol europeu aconteceu na cidade de Vigo (Espanha), no Estádio de Balaídos, entre as seleções da Espanha e Alemanha.

O jogo foi um amistoso de seleções que, mesmo sendo um clássico europeu, também foi o confronto entre os dois últimos campeões mundiais;  a Espanha campeã da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, e a Alemanha campeã da Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil. A partida foi uma reprise da semifinal disputada entre as seleções na Copa da África do Sul, porém o resultado foi o inverso, 1 x 0 para a Alemanha.

Como era de se esperar, mesmo com a Espanha não passando por um bom momento, a partida foi bem equilibrada, demonstrando que ambas as seleções possuem bons jogadores à sua disposição. A Espanha teve a primeira chance de gol, com uma jogada de Nolito, mas o goleiro Zieler espalmou a bola para a linha de fundo. O goleiro Casillas também foi testado aos 20 minutos do primeiro tempo, com uma jogada da dupla do Bayern de Munique, Götze e Müller, mas o goleiro espanhol defendeu bem o gol.  A primeira etapa do jogo terminou sem gols. Na volta do intervalo, as equipes tiveram chances de gol, mas a única que se concretizou foi já aos 43 minutos do segundo tempo, em um chute de fora da área de Toni Kroos, que finalizou o placar da partida em 1 x 0 para a Alemanha.

A Espanha, o time da casa, comandada por Vicente Del Bosque, entrou em campo com Casillas no gol, com os zagueiros Piqué e Sergio Ramos, os laterais Azpilicueta e Juan Bernat, os volantes Busquets e Bruno Soriano, no meio de campo Raúl Garcia (único que recebeu cartão amarelo no jogo) e Isco, enquanto que no ataque Morata e Nolito.

A seleção da Alemanha contou com Zieler como goleiro, Höwedes e Mustafi na zaga, os laterais Rüdiger e Durm, Khedira e Toni Kross como volantes, Götze, Sebastian Rudy e Thomas Müller no meio de campo e o atacante Volland. O time é comandado pelo técnico Joachim Löw.

Por Rannier Ferreira Mendes

Espanha x Alemanha

Foto: Divulgação


O grupo G da Copa de 2014 está eletrizante. E é nesse contexto que ocorrerá a partida entre as seleções da Alemanha, primeira colocada do grupo, e a seleção dos Estados Unidos, que é a vice-líder do grupo na disputa pela classificação para próxima fase do Mundial.

A seleção da Alemanha que é uma das favoritas na visão dos especialistas, e com certeza entrará para disputar essa partida como sempre entra nos demais jogos, aliando muita qualidade no aspecto geral e uma organização defensiva invejável. O outro fator que chama atenção para essa partida é a oportunidade que o atacante Klose terá de bater o recorde do brasileiro Ronaldo na artilharia da história das Copas.

Para essa partida o treinador Joachim Low, deverá escalar a seguinte equipe: o goleiro Never, os laterais Lahm pela direita e o Schmelzer pela esquerda, os zagueiros J. Boateng e Mertesacker, no meio de campo Schweinsteiger, Khedira, Kroos e Muller e no ataque Ozil e Reus.

A seleção dos Estados Unidos vem encantando os torcedores e está sendo considerada como uma das maiores surpresas da Copa, jogando no esquema tático 4-2-3-1, a equipe tem demonstrado ser uma equipe muito forte e de um grupo muito unido, porque vem demonstrando uma disciplina tática muito forte. Apesar de ter sofrido o gol da seleção de Portugal no último minuto, na partida anterior, fato que se não tivesse ocorrido já teria garantido a classificação da equipe antecipadamente, a seleção americana vem com alto astral para enfrentar a renomada seleção alemã e com certeza buscará uma vitória ou até mesmo o empate que a interessa, pois lhe garantirá também a classificação, porém em segundo lugar devido ao critério saldo de gols.

A possível escalação da equipe deve ser a mesma que vem jogando nas últimas partidas com os seguintes jogadores: Howard, Cameron, González, Besler, Beasley, Bradley, Jones, Bedoya, Dempsey, Zusi (ou Green) e Altidore.

Portanto, para quem gosta de ver uma boa partida de futebol esse será um dos jogos imperdíveis a serem assistidos nessa etapa decisiva de classificação para as oitavas de final do Mundial de 2014.

Estados Unidos vs Alemanha

Foto: Divulgação


O imponente Bernie Ecclestone, de 82 anos, é o responsável pelos direitos comerciais na Fórmula 1 desde 1978, mas este reinado pode estar seriamente ameaçado.

Segundo o próprio Bernie, se ele for acusado formalmente de um possível suborno a Gerhard Gribkowsky será preso e a direção da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) irá substituí-lo com certeza.

A denúncia se refere ao eventual pagamento para o diretor do banco alemão Bayern LB de 45 milhões de euros para vender em valor abaixo do mercado participação na Fórmula 1 ao fundo de investimento britânico CVC Capital Partners que tem como chefe executivo Bernie Ecclestone; além disso, depois desta transação – que ficou em 1,6 bilhões de euros – o fundo de investimento chefiado por Bernie passou a ter o controle acionário da categoria no automobilismo.

Sobre o assunto, Ecclestone se justifica argumentando que o valor pago foi devido a uma chantagem feita por Gribkowsky que o obrigou a participar da transação que, caso contrário iria denunciar um truste familiar existente em 2007 comandado pela ex-mulher de Bernie.

Agora, é preciso aguardar a decisão da justiça alemã sobre o assunto para conhecer o novo destino de Bernie Ecclestone.

Por Ana Camila Neves Morais


Nem a homenagem feita pela Federação Holandesa a alguns ídolos holandeses serviu para inspirar as seleções de Holanda e Alemanha. 

Nessa quarta-feira (14), Holanda e Alemanha entraram em campo em um dos confrontos mais esperados pelos admiradores do futebol. Repletas de desfalques importantes, as duas equipes mostraram um futebol sofrível, o que ficou desenhado no placar, que não saiu do zero.

Escaladas ofensivamente, Holanda e Alemanha sentiram o peso dos desfalques e fizeram um primeiro abaixo do esperado por ser um duelo que envolveu os times que foram segundo (Holanda) e terceiro (Alemanha) colocados na última Copa do Mundo. As chances de gols foram poucas, com lances de perigo inexistentes.

A seleção alemã foi superior na maior parte do primeiro tempo, levando perigo aos 21 minutos com Götze, que foi travado por Heintinga (Holanda) no momento da finalização.

A partida esfriou após o lance alemão esfriou, até que Robben (Holanda) recebeu de Afellay, aos 31 minutos e driblou o goleiro alemão Neuer, chutando para fora. Já no momento final da primeira etapa, a equipe alemã surpreendeu e por pouco não abriu o placar em boa jogada de Réus, que chutou de fora da área e acertou uma bomba no travessão, que foi pra fora em seguida.

No segundo tempo do jogo, as duas equipes, mesmo após várias mudanças feitas pelos técnicos, não conseguiram mudar a cara do jogo. Ao término do jogo, o tom de melancolia prevaleceu sobre o resultado zerado.

Por Renato Benevenuto





CONTINUE NAVEGANDO: