Após alguma reuniões a diretoria do Flamengo chegou a um acordo com o Complexo Maracanã Entretenimento S.A, e nos próximos seis meses o "time do povo" terá o ex-maior do mundo como casa, a exemplo do que vai acontecer com o rival Fluminense, que também chegou a um acordo com a administradora do estádio.

Ao contrário do Fluminense, que assinou contrato válido por 35 anos, o do Flamengo tem mais um caráter experimental, e a volta do clube ao palco mais famoso do futebol brasileiro já tem data marcada: 28 de julho, pelo Campeonato Brasileiro, frente ao rival Botafogo.

Por se tratar de uma espécie de contrato teste, as partes afirmaram que existe uma cláusula no mesmo, denominada de confidencialidade, que os impedem de darem maiores detalhes dos valores; o vice-presidente de finanças do Flamengo, Rodrigo Tostes, limitou-se a dizer que novamente o "Maraca" é do Flamengo, e que clube e Compolexo estão felizes.

O Complexo Maracanã Entretenimento S.A administrará o estádio até 2048, após acordo com o Governo do Estado do Rio de Janeiro; apesar do acordo, a diretoria do Flamengo afirmou que jogará os cinco jogos em Brasília, no estádio Mané Garrincha, como tinha previsto.

Por Vinicius Cunha


A torcida do Fluminense tem bons motivos para comemorar. O presidente do clube, Peter Siemsen, comemorou a assinatura de um contrato de 35 anos com o Complexo Maracanã Entretenimento e desta forma o Tricolor irá voltar a receber seus jogos dos campeonatos estaduais, nacionais e sul-americanos no estádio.

O Fluminense, porém, terá limitações em alguns pontos. Toda a renda obtida com eventos, estacionamentos e serviços (como venda de comidas e bebidas), será destinada às empresas que compõe o consórcio. Além disso, o clube terá direito apenas à renda obtida nos ingressos vendidos atrás dos gols. Todos os outros espaços, inclusive os camarotes, serão revertidos para os administradores do estádio.

Apesar das limitações, o clima é de euforia nas Laranjeiras. Desde que o Maracanã fechou (em 2009), o Fluminense vem mandando seus jogos no Engenhão, em Volta Redonda, em São Januário ou em arenas em outros Estados, tendo de pagar aluguéis e deixar de obter renda extra por essa razão.

Apesar de ter perdido o clássico do último domingo para o Botafogo, por 1 a 0, na Arena Pernambuco, o Fluminense segue na parte de cima da tabela de classificação, com apenas duas derrotas.

Por Júlio Abreu


Sem poder utilizar o Engenhão até 2014, o Botafogo busca alternativas para demonstrar seu bom futebol na temporada atual. Após ficar sem sua casa, interditada devido a problemas estruturais, o Glorioso intensificou as conversas para poder jogar no novo Maracanã no segundo semestre deste ano, quando retornam o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil.

A ideia dos mandatários do Alvinegro é realizar entre 10 e 12 jogos na nova Arena. O primeiro confronto alvinegro, inclusive, surge como ótima opção para a reestreia do Glorioso no Maracanã. No dia 7 de julho, o Fogão recebe o Fluminense, mas ainda necessita do aval dos administradores.

Em negociação há algumas semanas com representantes do Consórcio Maracanã, a diretoria do Botafogo está otimista quanto a um desfecho positivo, mesmo sabendo que terá que ajustar a grade de programação de jogos com Flamengo e Fluminense.

Sem poder perder tempo, o Botafogo negocia paralelamente com os administradores do Estádio Mané Garrincha, em Brasília. A capital do país é considerada boa opção, já que conta com um grande reduto de botafoguenses.

O próximo compromisso do Botafogo será diante do Figueirense, dia 3 de julho, em jogo válido pela terceira fase da Copa do Brasil. O mando de campo é da equipe carioca, que ainda não sabe onde irá atuar.

Por Marcos Junior


O futuro palco da final da Copa das Confederações, neste ano, e da Copa do Mundo, em 2014, teve o seu gramado colocado e, com isso, o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL) e o Ministro dos Esportes Aldo Rebelo garantem que 87% da reconstrução do Maracanã está concluída.

A expectativa é que o novo estádio seja entregue no dia 27 de abril, recebendo jogos de testes nesta data e no dia 8 de maio, ambos fechados para a torcida, que só poderá ter acesso no dia 2 de junho, em amistoso da seleção brasileira.

Ao todo, seis caminhões transportaram a grama de Saquarema, onde foi tratada e cultivada em padrões de excelência internacionais, para o estádio. Máquinas especiais foram importadas de estádios europeus para auxiliar no transporte.

Apesar da confiança dos governantes de que o estádio estará pronto no final de abril, é grande a incerteza sobre a finalização das obras a tempo. Isso porque a previsão inicial era de que o Maracanã estivesse pronto em dezembro do ano passado, mas no entanto a data de inauguração foi adiada sucessivas vezes.

Para piorar a situação, os operários paralisaram a reconstrução em diversas ocasiões exigindo melhores condições de trabalho.

Por Julio Abreu





CONTINUE NAVEGANDO: