Nem a homenagem feita pela Federação Holandesa a alguns ídolos holandeses serviu para inspirar as seleções de Holanda e Alemanha. 

Nessa quarta-feira (14), Holanda e Alemanha entraram em campo em um dos confrontos mais esperados pelos admiradores do futebol. Repletas de desfalques importantes, as duas equipes mostraram um futebol sofrível, o que ficou desenhado no placar, que não saiu do zero.

Escaladas ofensivamente, Holanda e Alemanha sentiram o peso dos desfalques e fizeram um primeiro abaixo do esperado por ser um duelo que envolveu os times que foram segundo (Holanda) e terceiro (Alemanha) colocados na última Copa do Mundo. As chances de gols foram poucas, com lances de perigo inexistentes.

A seleção alemã foi superior na maior parte do primeiro tempo, levando perigo aos 21 minutos com Götze, que foi travado por Heintinga (Holanda) no momento da finalização.

A partida esfriou após o lance alemão esfriou, até que Robben (Holanda) recebeu de Afellay, aos 31 minutos e driblou o goleiro alemão Neuer, chutando para fora. Já no momento final da primeira etapa, a equipe alemã surpreendeu e por pouco não abriu o placar em boa jogada de Réus, que chutou de fora da área e acertou uma bomba no travessão, que foi pra fora em seguida.

No segundo tempo do jogo, as duas equipes, mesmo após várias mudanças feitas pelos técnicos, não conseguiram mudar a cara do jogo. Ao término do jogo, o tom de melancolia prevaleceu sobre o resultado zerado.

Por Renato Benevenuto





CONTINUE NAVEGANDO: