Desde que a Eletrobrás tornou-se patrocinadora master do Vasco, o clube carioca vem tendo dificuldades para receber esse dinheiro. Uma série de documentos é necessária para que essa verba seja repassada aos cofres vascaínos, dentre toda essa papelada, as certidões negativas são as que mais dão dor de cabeça ao jurídico cruzmaltino.

Os salários dos jogadores e dos funcionários estão atrasados há mais de dois meses, sendo que a situação dos trabalhadores é bem mais complicada que a dos atletas, devido à diferença entre os ganhos das duas classes. Muitos não estão indo trabalhar, uma vez que não possuem dinheiro para pagar a passagem do ônibus.

Ciente de que a situação está difícil em São Januário, a Justiça do Trabalho decidiu liberar os 8 milhões de reais que o cruzmaltino tinha direito, essa verba deve suavizar momentaneamente a situação financeira do clube.

Ao que tudo indica, esse valor será usado para o pagamento dos salários dos funcionários, assim como dos jogadores. Para a metade do ano, a Diretoria pensa em negociar com a Eletrobrás um patrocínio para outra parte da camisa e fechar com uma empresa para ser patrocinadora máster.

Os boatos são de que a Nissan é quem será a nova patrocinadora máster do Vasco da Gama.

Por Gabriel Frigini Reis





CONTINUE NAVEGANDO: