Depois de brigas e escândalos, o São Paulo levou o titulo inédito da Copa Sul-Americana. Os brasileiros ficaram com o troféu após jogar apenas 45 minutos. Isso aconteceu porque o time do Tigre abandonou a partida por incidentes no vestiário. 

Entenda melhor como foi a partida e as confusões dessa grande final:

Antes mesmo de a partida começar, os jogadores do Tigre tiveram uma rápida discussão com os seguranças do time paulista. Depois de tudo resolvido, a bola começou a rolar. O São Paulo pressionou o time argentino durante os 45 minutos da primeira etapa. Lucas, em sua despedida, jogou muito e apanhou ainda mais, tendo que ser atendido depois de uma cotovelada desferida pelo lateral-esquerdo Orban.

Não intimidado pela chuva de botinadas, o time do São Paulo continuava partindo para cima dos argentinos e conseguiu marcar seus gols aos 22 e 28 minutos, com Lucas e Osvaldo, respectivamente.

Após o apito final da primeira etapa, houve uma confusão na entrada do vestiário do São Paulo. Depois de aparentemente tudo resolvido, jogadores e dirigentes do Tigre disseram que foram coagidos e agredidos dento do seu próprio vestiário. Alegando estes acontecimentos, a equipe decidiu não voltar para o segundo tempo da partida.

Após esperar mais de 30 minutos, o árbitro da partida deu o jogo como encerrado e o São Paulo foi dado como o novo Campeão da Copa Sul-Americana 2012, após desistência do time argentino.

Ambas as equipes prestaram queixas sobre o ocorrido no Distrito Policial da região do Morumbi. A polícia ainda irá apurar o caso.

Por Bruno Mathiuzzo


Nesta quarta-feira (dia 12 de dezembro), às 21:50, o São Paulo irá enfrentar o time argentino do Tigre no Morumbi, pela final da Copa Sul-Americana.

O time da capital paulista busca o titulo inédito da competição, para fechar a temporada em alta, já que no primeiro semestre o time não foi muito bem.

O São Paulo precisa apenas de uma vitória simples para coroar o ano com o titulo sul-americano, qualquer empate leva o jogo para a disputa de pênaltis.

O técnico Ney Franco não vai poder contar com o seu principal atacante, Luis Fabiano, que foi expulso infantilmente aos 13 minutos do primeiro tempo na primeira partida da final, no estádio La Bombonera, na Argentina. No seu lugar deverá jogar o atacante Willian José, que é o artilheiro do time na competição e já está negociado para defender o Grêmio na próxima temporada.

O São Paulo deve jogar com a seguinte escalação: Rogério Ceni, Paulo Miranda, Rafael Tolói, Rhodolfo e Cortez; Denílson, Wellington e Jádson; Lucas, Osvaldo e Willian José.

A grande final da Copa Sul-Americana será transmitida pela Rede Globo e pela TV Bandeirantes.

Por Bruno Mathiuzzo


E mais uma vez o lado exaltado (digamos assim) do jogador Luis Fabiano falou mais alto. No primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana o atacante foi expulso aos 13 minutos do primeiro tempo e sua expulsão pesou sobre o time do São Paulo.

O jogo contra o time do Tigre ficou no 0 a 0 na partida de ida em La Bombonera e o time do São Paulo teve dificuldades para superar o jogo defensivo dos argentinos. O São Paulo teve algumas chances de gol com Luis Fabiano e Lucas, e conseguiu manter o controle do jogo não cedendo a pressão do Tigre.

Os argentinos jogaram com marcação forte, bolas aéreas no ataque e muita catimba para irritar o time paulista. No final do jogo os jogadores são-paulinos reclamaram do jogo desleal e prometeram uma resposta na bola.

O São Paulo agora precisa de uma vitória simples dentro Morumbi para quebrar o jejum de 4 anos sem título. O jogo acontece na próxima quarta-feira (dia 12) e a torcida tricolor promete uma grande festa,  pois foram vendidos cerca de 64 mil ingressos. Pressão total em cima do Tigre para a conquista do título e a despedida do jogador Lucas.

Por Viviane Nascimento


Na noite dessa quinta-feira, o São Paulo foi até Santiago, no Chile, para jogar o confronto de ida contra o Universidad Católica, em partida válida pelas semifinais da Copa Sul-Americana.

O Tricolor Paulista bem que tentou surpreender os donos da casa, mas abusaram na quantidade de gols perdidos e saíram da capital chilena com um empate melancólico, com gosto de derrota.

Partindo para cima dos mandantes, o São Paulo pressionou o tempo todo, levando mais perigo ao goleiro do time do Universidad. E a pressão deu certo: Rafael Tolói marcou após cobrança de escanteio aos 21 minutos da primeira etapa.

E o time paulista não parou. Aos 25 minutos, o placar só não foi ampliado devido à boa defesa do goleiro do time chileno, Tosselli, em boa jogada individual do atacante Oswaldo.

Mesmo sendo apoiado pela sua torcida, o Universidad sentiu o golpe. Com a defesa desorganizada, a equipe optou pelos lances violentos. 

Antes do intervalo, o Tricolor Paulista teve outra ótima chance, também com Oswaldo, que ficou cara a cara com o goleiro adversário, chutando encima do mesmo.

Após o intervalo, o São Paulo abusou da chance de liquidar a partida e foi punido. Aos 24 minutos da etapa final, Castillo dominou, driblou o zagueiro Rhodolfo e tocou seco no canto direito do gol de Rogério Ceni, dando números finais a partida.

Foi um resultado bom, apesar do gosto de derrota. Após o apito final, os atletas do São Paulo confirmaram que a equipe perdeu muitas chances de gol, fazendo a equipe paulista sair de campo com um empate com gosto de derrota.

A partida de volta acontecerá na próxima quarta-feira, dia 28 de novembro, no estádio do Morumbi.

Por Renato Benevenuto


O Grêmio, um dos grandes favoritos à conquista da Copa Sul-Americana, foi eliminado na noite dessa quinta-feira pelo Milionários, em partida realizada na Colômbia.

Sentindo os efeitos da altitude colombiana, o time gremista iniciou a partida pressionando o time da casa, em busca de um gol que daria mais tranquilidade a equipe que já havia vencido por 1×0 na partida de ida, realizada em Porto Alegre. A pressão funcionou e o tricolor gaúcho abriu o placar aos 12 minutos com o zagueiro Werley, que aproveitou o erro do goleiro da equipe mandante e mandou para o fundo das redes.

Depois do gol gremista, a equipe colombiana passou a pressionar o tricolor. Após o primeiro tempo terminar com a vantagem do time brasileiro, no segundo tempo a história foi bem diferente. O Milionários foi com tudo para cima de seu oponente, chegando ao gol de empate aos 15 minutos, após boa jogada de Rentería, que driblou a defesa gremista achando Cosme, que finalizou sem dar chances de defesa ao goleiro Marcelo Grohe. 

Após sofrer o gol de empate, o Grêmio começou a administrar o resultado, deixando o time da casa longe de sua meta. Porém, na primeira chance que teve, o Milionários conseguiu a virada: Cosme cruzou na medida para Rentería, que acertou o cabeceio no canto do gol gremista, aos 35 minutos, deixando seu time vivo na competição.

O time gaúcho ainda se classificava, até que, aos 46 minutos, Martínez foi derrubado na área por Werley. Pênalti marcado pela arbitragem! Rentería cobrou no ângulo, sem dar chances para a defesa do goleiro Marcelo Grohe.

Final de partida. O Grêmio acabara de ser eliminado. Festa para o time da casa que foi em êxtase comemorar com sua torcida, enquanto a equipe do Grêmio foi protestar com o trio de arbitragem, iniciando uma grande confusão. É o fim do sonho do Grêmio.

Por Renato Benevenuto


Bastante satisfeito com a classificação  para as quartas de final da Copa Sul-Americana, conquistada com a vitória por 2 a 1 sobre o Barcelona do Equador, o técnico Luxemburgo demonstrou bom humor na entrevista coletiva nos vestiários do Estádio Olímpico e elogiou o trabalho realizado  em parceria com dirigentes e jogadores do Grêmio.

Sem previsão de renovação de seu contrato para 2013, após a eleição de Fábio Koff para a presidência do time, o treinador falou sobre as possibilidades de deixar o clube em dezembro com a conquista da competição continental. Contudo, preferiu exaltar o projeto feito nesta temporada.

“A Sul-Americana é uma possibilidade muito legal para ganhar um título, mas o futebol não é uma ciência exata. Você não ganha nada no futebol se não fizer planejamento. Se o Grêmio dispensar todo mundo no final do ano e comprar outros 20, vai voltar a capengar. Futebol é planejamento”, afirmou Luxemburgo.

Diante das incertezas, o técnico espera que, ao menos, o projeto tenha continuidade. “Mostrei minha proposta: criar, junto com a diretoria, uma base sólida. Criar um time técnico e guerreiro, que atraia o torcedor e recupere a autoestima dele. O adversário tem que saber que vamos fora de casa para ganhar. Quem estiver aqui no ano que vem vai colher esses frutos, pois a base está implantada”, destacou.

Segundo Luxa, a boa fase gremista é fruto de uma boa conexão com os jogadores e o respeito às qualidades de cada um deles.

Por A.V.S


Quando chegou ao Palmeiras, o técnico Gilson Kleina prometeu ao elenco três vitórias nos três primeiros jogos. Tendo completado a terceira partida nesta terça (02/10), a promessa foi cumprida. Jogando pela Copa Sul-Americana, o Verdão venceu o Millonarios e abriu uma boa vantagem para o segundo confronto.

No jogo em que marcava a centésima partida de Henrique com a camisa alviverde, o Palmeiras, mesmo poupando alguns jogadores, dominou quase toda a partida. Logo no começo, o time da casa levou perigo com Marcio Araújo e  Daniel Carvalho. Com a facilidade encontrada, Obina recebeu um belo passe de Daniel Carvalho e tocou para o fundo das redes, abrindo o placar no Pacaembu. Após o gol, o Palmeiras diminuiu o ritmo e não forçou mais nenhum ataque até o fim da primeira etapa.

Voltando mais ofensivo para o segundo tempo, com Tiago Real no lugar de Araújo, o Verdão ampliou rapidamente. E foi com Tiago Real, aos 8 minutos, após bom passe de Luan. Como no primeiro gol, o time de Palestra Itália diminuiu o ritmo. Dessa vez, porém, foi penalizado. Com o Millonarios pressionando, Artur, em um lance infeliz, marcou contra e deixou o placar 2×1, aos 39 minutos. O gol fez o Palmeiras voltar a atacar e, com isso, marcar novamente. Luan, após erro da zaga colombiana, marcou e decretou o placar final: 3×1.

Agora, o Palmeiras pode perder por até um gol de diferença na Colômbia, em jogo que acontecerá no dia 23 de outubro.

Por Augusto Cesar


Há 14 anos sem um importante título internacional, o Grêmio joga suas fichas na Copa Sulamericana para retomar a fama de time copeiro. Nesta quarta-feira, 26/09, a equipe de Vanderlei Luxemburgo encara o Barcelona do Equador, pelas oitavas de final da competição.

Em 1996, a equipe comandada por Luis Felipe Scolari vencia a segunda Libertadores de sua história e, ainda naquele ano, a Recopa Sulamericana. De lá para cá, o time conquistou apenas torneios amistosos como o Troféu Fronteira da Paz, no Uruguai, e a Taça Hang Ching, na China.

Em 2007, os gaúchos quase voltaram a vencer a América, mas o time caiu diante do Boca Juniors, em partida de grande destaque de Riquelme.

Porém, a torcida tricolor voltou a se animar com o time, que está entre os primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, com chances de disputar o título. No entanto, no último fim de semana, o time empatou com o vice líder, Atlético Mineiro, em 0 a 0.

Nesta quarta-feira, o time não terá Zé Roberto , que se machucou no domingo, e Gilberto Silva, poupado por desgaste físico.

Caso passe pelo Barcelona, o Grêmio enfrentará Palmeiras ou Milionários da Colômbia, pelas quartas de final.

Por Paulo B.


Depois de conseguir mais uma vitória no Campeonato Brasileiro, o São Paulo muda o foco e se prepara para a Copa Sulamericana. Nesta quarta-feira, 26/09, a equipe inicia a fase internacional do torneio contra os equatorianos da LDU de Loja. O time do técnico Ney Franco já embarcou para o Equador onde fará o primeiro confronto internacional da temporada.

O torneio ganha importância por ser mais uma forma de alcançar a vaga na Copa Libertadores da América, grande obsessão tricolor no ano, tendo em vista que os dois maiores rivais já estão garantidos no torneio.

Mas os tricolores tem que estar atentos, pois, no ano passado, a equipe caiu justamente nas oitavas de final. A partida contra o Libertad, no Paraguai, foi decisiva para o confronto. Vitória dos paraguaios por 2 a 0, na estreia do técnico Émerson Leão, que comandou o time até o meio de 2012.

Na primeira fase, o São Paulo passou pelo Bahia, com duas vitórias por 2 a 0, em Pituaçu e no Morumbi. Já a LDU de Loja passou pelo Nacional do Uruguai e mostrou ser um oponente perigoso fora de casa.

Os uruguaios venceram em Loja, por 1 a 0, mas em pleno estádio Centenário, em Montevidéu, a equipe do Equador fez 2 a 1 e conseguiu a classificação, graças ao critério do gol marcado fora de casa.

Por Paulo B.


Lucas volta ao time do São Paulo.

Nesta terça (21), o São Paulo volta a campo, agora na Copa Sul-Americana 2012, para enfrentar o Bahia, no jogo de volta.

Os dois times se enfrentam no Estádio do Morumbi, em São Paulo, a partir das 21h15 (horário de Brasília).

O time paulista poderá perder de até um gol de diferença nesta partida de hoje que será o classificado. Isso acontece, pois o Tricolor Paulista venceu os baianos em Salvador, pelo placar de 2 a 0.

Comparando a escalação do jogo de ida, o treinador Ney Franco não poderá escalar o artilheiro Luís Fabiano. O jogador já está recuperado de lesão na coxa, mas comissão técnica e departamento médico acham que a melhor situação e preservá-lo para o clássico do final de semana contra o Corinthians.

Outro que volta para a equipe é o meia-atacante Lucas, que estava junto a seleção brasileira e desfalcava o São Paulo.

No lado do Bahia, o time do técnico Caio Junior poderá contar com Victor Lemos improvisado na lateral esquerda. O treinador, porém, ainda tem dúvidas para confirmar a escalação e somente vai soltar os titulares momentos antes da partida.

Confira a ficha técnica –

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 21 de agosto de 2012, terça-feira
Horário: 21h15 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Maicon (Rodrigo Caio), Cícero e Jadson; Lucas e Ademilson
Técnico: Ney Franco

BAHIA: Marcelo Lomba; Gil, Danny Morais, Titi e Victor Lemos; Fahel, Diones, Zé Roberto e Mancini; Gabriel e Júnior
Técnico: Caio Junior





CONTINUE NAVEGANDO: