O Grêmio foi até a Venezuela para enfrentar o Caracas com a ideia de arrancar no mínimo um empate, porém, mesmo começando bem, sofreu a virada e o grupo 8 da Libertadores ficou embolado.

A partida poderia ter um resultado diferente para o tricolor gaúcho, pois além de ter marcado primeiro, com o meio armador Elano, errou muitos gols e acabou sendo castigado.

Os gols da equipe venezuelana foram marcados por Edder Farías e Ângelo Peña, num estádio com a presença de poucas pessoas, total de 7 mil aproximadamente, provavelmente em virtude da morte de Hugo Chávez.

O grupo 8 está aberto e depois do fim da 4ª rodada, todos os times têm chances de classificação, o líder é o Fluminense com 7 pontos; depois vem o Grêmio com 6; em terceiro o Caracas com os mesmos 6 pontos, mas com saldo menor do que a equipe gaúcha; e em último o Huachipato do Chile com 4 pontos.

Os 4 times que compõem o grupo farão mais duas partidas cada um, sendo uma em casa e outra fora. A próxima rodada terá Grêmio x Fluminense no Rio Grande do Sul, e Caracas x Huachipato na Venezuela. É um dos grupos mais equilibrados da competição e é complicado falar em favoritos para classificação, ainda mais devido às instabilidades dos times, inclusive dos brasileiros.

Por Vinicius Cunha


O Grêmio entrou em campo, na última terça-feira, 05/03, e venceu o Caracas da Venezuela por 4 a 1, assumindo a liderança da chave 8 da Copa Libertadores. A partida foi realizada na arena do clube, em Porto Alegre.

Foi a terceira partida do clube no campeonato; antes o time do "professor" Luxemburgo perdera em casa para o Huachipato do Chile e venceu o Fluminense, no Engenhão, por 3 a 0.

Os gols gremistas foram marcados por Werley, zagueiro artilheiro; pelo "pirata" Barcos; e pelo camisa 10 do time, Zé Roberto, destaque da partida e autor de dois gols. Para o caracas, marcou o gol o defensor Andrés Sânchez.

O estádio, apesar de não contar com um gramado a sua altura, contou com a presença de mais de 30 mil torcedores e estes apoiaram a equipe do início ao fim.

A equipe de Porto Alegre volta a enfrentar o mesmo Caracas pela próxima rodada da Libertadores, desta vez na Venezuela. A derrota do time venezuelano coincindiu com a data da morte de Hugo Chávez, vítima de câncer. Data para os torcedores da equipe vizinha do Brasil esquecer. Perda dupla, guardada às devidas proporções.

Por Vinicius Cunha


Em uma noite apoteótica na Copa Bridgestone Libertadores, o Grêmio venceu o Caracas, por 4 a 1, na Arena, e alcançou a liderança do Grupo 8.

Zé Roberto (duas vezes), Barcos e Werley marcaram os gols da equipe gremista. Andrés Sánchez descontou para os venezuelanos. Na próxima rodada, no dia 12 de março, o Tricolor enfrenta o mesmo adversário, só que desta vez fora de casa.

De volta ao seu estádio depois da derrota para o Huachipato na rodada de estreia, o Grêmio entrou em campo com o intuito de apagar a primeira impressão. Sob os olhares de um público de mais de 30 mil pessoas, o Tricolor logo aos 16 minutos de jogo mostrou que não estava para brincadeiras. Oportunista, Barcos aproveitou o rebote do goleiro Baroja e abriu o placar.

Aos 37 minutos, foi a vez de Werley deixar a sua marca. Zé Roberto cobrou escanteio e o jogador desviou, ampliando a vantagem do time gaúcho.

No início da etapa complementar, Barcos viu Zé Roberto em boa posição e lançou. Com muita habilidade, o jogador driblou o goleiro e marcou mais: 3 a 0.

Quando a vitória parecia estar sacramentada, Andrés Sanchez descontou para os venezuelanos. Mas aos 27, Zé Roberto aproveitou cruzamento de Pará e fechou o placar.

Por Julio Abreu





CONTINUE NAVEGANDO: