A equipe paulista tem jogo decisivo neste domingo, 07/12/2014, às 17h (horário de Brasília), pela última rodada do Campeonato Brasileiro 2014. O jogo e contra o Atlético Paranaense e para o Palmeiras tem cara de final de campeonato, pois vale uma vaga na primeira divisão.

O jogo será na Arena Paulista (Allianz Parque), sendo árbitro da partida Leandro Pedro Vuaden (RS), e auxiliares Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Antônio Chaves Franco Filho (RS).

Para o Atlético Paranaense a vitória ou a derrota não faz diferença, pois o time não tem chance que se classificar para a Copa Libertadores da América e também está longe da zona de rebaixamento.

O time paranaense, aparentemente, não está dando muita atenção ao jogo, pois já até deu férias para alguns jogadores titulares, como é o caso Sueliton e Marcelo que já foram liberados nesta quinta feira. O Atlético também não poderá contar com o volante Hernani, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

No Palmeiras a apreensão é total. A pressão vem de todos os lados, principalmente da torcida que não quer passar por um senário de Série B pela terceira vez. No entanto, nos treinos que foram realizados, os jogadores passaram mensagens de otimismo.

Durante entrevista coletiva nesta quarta feira (04) o jogador Victor Luís incita a torcida a ter pensamento positivo “O futebol tem grandes surpresas, e, infelizmente, tivemos essa sequência de cinco derrotas, mas com a equipe atuando bem. Não tivemos sorte. Agora, com sorte ou sem sorte, nós temos de ganhar no domingo. O torcedor tem de ter o mesmo pensamento da gente, que é fazer um jogo bom e conquistarmos uma vitória”.

Os jogadores do verdão disseram estar contando com total apoio da torcida no próximo domingo, pois para que o time continue na primeira divisão precisa só dele. O jogador Victor Luís elogiou a postura que a torcida vem tendo e disse: “A torcida tem feito a parte dela fora de campo, e está esperando a nossa dentro de campo”.

Com isso, a torcida ficou convocada a comparecer ao estádio para empurrar o Palmeiras para uma vitória decisiva que garantirá sua permanência na Série A do futebol brasileiro.

Por Dalmo Rocha de Jesus

Foto: divulgação


O Campeonato Brasileiro Série B teve o seu encerramento neste último fim de semana, com a disputa da 38ª rodada da competição. E apesar de algumas coisas já terem sido resolvidas antes mesmo dessa rodada, como o acesso antecipado conquistado pelo Joinville e pela Ponte Preta para a Série A do Brasileirão em 2015, mas ainda disputaram até a última rodada o título da competição.

E na outra ponta da tabela também já haviam algumas confirmações, como o rebaixamento também antecipado da Portuguesa e do Vila Nova para disputarem o Campeonato Brasileiro da Série C no ano que vem, mas ainda faltava conhecer as outras duas equipes que completariam o Z4 da segundona.

No último sábado tivemos a definição do campeonato que consagrou o Joinville, ou JEC, como o campeão do Campeonato Brasileiro Série B de 2014, conquistando o título e o ingresso para a elite do futebol brasileiro mesmo sofrendo uma derrota em seu último jogo, contra Oeste, por causa do tropeço da Ponte Preta.

A macaca foi a vice campeã e perdeu a chance de conquistar o primeiro título do Brasileirão Série B de sua história ao empatar com o Náutico, pois caso a Ponte vencesse a sua última partida teria levado a taça.

Vasco e Avaí, que terminaram em terceiro e quarto lugar, respectivamente, se garantiram no G-4 da segunda divisão e também retornaram à Série A do Campeonato Brasileiro. E o time catarinense conquistou o seu acesso justamente vencendo o Vasco na última rodada, na Ressacada.

Já a equipe carioca, apesar de ter conseguido voltar à elite, não agradou totalmente a sua torcida com o feito, por conta de não ter conquistado o título e também pelo futebol apresentado na reta final da competição.

Já na zona de rebaixamento, além da Lusa e do Vila Nova que já haviam sido citados acima, também ficaram o Icasa e o América-RN. Essas quatro equipes que não conseguiram se manter na segunda divisão irão disputar o Campeonato Brasileiro Série C, em 2015.

Por João Calvet

Foto: Rodrigo Philipps / Agência RBS


A briga para permanecer no G-4 da Série A do Campeonato Brasileiro continua bastante acirrada, o que foi retratado no primeiro dia de jogos válidos pela 36ª rodada do Brasileirão, no sábado, 22 de novembro de 2014.

A partida de destaque foi entre Internacional e Atlético-MG, dois times que estão balançando entre as posições do topo da tabela do torneio há algumas rodadas. A partida terminou em 2 x 1 para o Internacional, com um gol do time da casa no último momento da partida.

O Atlético-MG, que após a derrota caiu para 5º lugar da tabela, com 61 pontos, ainda tem chance de garantir seu lugar na Libertadores de 2015, pois jogará na quarta-feira, dia 26 de novembro, a final da Copa do Brasil contra seu rival mineiro, o Cruzeiro. O Internacional, por outro lado, tem que manter-se no G-4 por duas rodadas ainda do Brasileirão para garantir a sua vaga.

O jogo que aconteceu em Porto Alegre, no Beira-Rio, começou com grande apoio da torcida do Inter, que não parava de cantar, porém, a posse de bola era do Galo. Mesmo com a pressão do clube mineiro no início, o primeiro gol da partida foi do Internacional, aos 20 minutos do primeiro tempo.

A jogada iniciou com Jorge Henrique recebendo a bola no canto esquerdo da área e passando para Rafael Moura, que afundou a bola na rede. A felicidade do time gaúcho durou apenas 2 minutos, já que Fabrício fez pênalti em Eduardo, o qual foi motivo de reclamação dos jogadores colorados. Em cobrança certeira, Dodô chutou no canto e empatou o jogo.

O primeiro tempo terminou e a segunda metade do jogo foi de grande competição, porém tudo parecia definido como um empate. O árbitro deu 4 minutos de acréscimo e, justamente aos 49 minutos do segundo tempo, o segundo gol do Inter saiu e garantiu sua vitória.

D’alessandro cruzou para Valdívia, que não conseguiu finalizar, porém deixou a bola com Fabrício, que chutou no canto direito e fez a alegria da torcida colorada.

Nas duas últimas rodadas o Internacional enfrentará o Palmeiras e o Figueirense, enquanto que o Atlético-MG jogará primeiro com o Coritiba e depois com o Botafogo.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


Foi realizada no último fim de semana a 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, com três jogos no último sábado (01/11) e os outros sete no último domingo (02/11). E essa rodada teve todos os times da ponta de cima da tabela (que atualmente integram o G-4) vencendo e pelo mesmo placar, 2×1, menos o Fluminense, que não levou gol, mas marcou também dois.

São eles, o líder isolado da competição, Cruzeiro, seguido por São Paulo, na vice-liderança, e completando a zona de classificação para a Copa Libertadores do ano que vem, Internacional e Fluminense. E dois deles venceram adversários da parte oposta na tabela e que lutam rodada a rodada para escapar do rebaixamento.

A Raposa recebeu o Botafogo, no Mineirão, e venceu por 2×1 jogando melhor no primeiro tempo, mas segurando o resultado e uma pressão do time carioca na segunda etapa, fazendo, inclusive, um gol contra e ajudando o Glorioso a descontar no placar.

Com isso, o Botafogo, que com um empate diante do Cruzeiro estaria fora da zona de rebaixamento, segue no Z-4, na 18ª posição.

E outro que enfrentou uma equipe mais desesperada foi o São Paulo, que visitou e venceu o Criciúma também por 2×1, se manteve no 2° lugar e deixou o time catarinense na lanterna da competição.

Foto: Cristiano Andujar / Getty Images

Inter e Flu, à exemplo do Tricolor paulista, também venceram fora de casa, porém, pode-se considerar que venceram adversários talvez menos determinados/dedicados pelo momento que vivem e as posições que ocupam na tabela, nas quais não correm risco de rebaixamento e praticamente não tem mais chances de alcançarem posições acima do que estão na tabela, que são Santos e Goiás, e que ocupam atualmente a 8ª e a 11ª colocação.

Também nessa rodada, duas equipes que brigam na parte de cima da tabela tropeçaram na corrida pelo G-4, que foram o Atlético-MG e Corinthians. O Galo, que poderia estar em terceiro se tivesse vencido, perdeu para o xará do Paraná e deixou o Grêmio e o Corinthians encostarem com os mesmos 54 pontos, inclusive do Fluminense também.

O Timão, mesmo empatando no fim do jogo, perdeu uma boa chance de entrar de volta no G-4, pois jogou em casa e diante de um time do Z-4.

Entre as equipes que tentam alcançar a zona da Libertadores, quem melhor aproveitou esses tropeços dos adversários e concorrentes diretos foi o Grêmio, que após vencer o Vitória, na Arena do Grêmio, chegou também aos 54 pontos, alcançou a 6ª colocação e se mantém forte na briga pelo G-4.

Confira abaixo os jogos da 32ª rodada do Brasileirão com os locais onde foram realizados e os goleadores que marcaram:

– Grêmio 1×0 Vitória – Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre/RS – Gol: Richarlyson (c.) – 44'/1°T (GRE);

– Goiás 0x2 Fluminense – Local: Estádio Serra Dourada, Goiânia/GO – Gols: Fred – 26'/1°T e Conca – 44'/2°T (FLU);

– Corinthians 2×2 Coritiba – Local: Arena Corinthians, São Paulo/SP – Gols: Elias – 1'/2°T e Bruno Henrique – 49'/2°T (COR); Robinho – 24'/1°T e Alex – 31'/1°T (CFC)

– Sport 1×0 Figueirense – Local: Ilha do Retiro, Recife/PE – Gol: Diego Souza – 18'/2°T (SPO);

– Santos 1×2 Internacional – Local: Vila Belmiro, Santos/SP – Gols: Gabriel – 17'/2°T (SAN); Aránguiz – 24'/1°T e 35'/2°T (INT);

– Cruzeiro 2×1 Botafogo – Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte/MG – Gols: Marquinhos – 5'/1°T e Edígio – 15'/1°T (CRU); Léo (c.) – 46'/2°T (BOT);

– Criciúma 1×2 São Paulo – Local: Estádio Heriberto Hulse, Criciúma/SC – Gols: Souza – 25'/2°T (CRI); Edson Silva – 36'/1°T e Alan Kardec – 37'/2°T (SAO);

– Flamengo 3×0 Chapecoense – Local: Estádio Maracanã, Rio de Janeiro/RJ – Gols: Anderson Pico – 10'/2°T e Nixon – 15'/2°T e 24'/2°T (FLA);

– Atlético-PR 1×0 Atlético-MG – Local: Arena da Baixada, Curitiba/PR – Gol: Paulinho Dias – 1'/1°T (CAP);

– Bahia 0x1 Palmeiras – Local: Arena Fonte Nova, Salvador/BA – Gol: Mazinho – 35'/1°T (PAL).

Por João Calvet


Atualmente na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Botafogo vem lutando para escapar dessa zona na tabela e vem convivendo com uma crise interna, principalmente financeira, mas que gerou também a demissão de quatro atletas que tiveram seus contratos rescindidos (o atacante Emerson Sheik, o zagueiro Bolívar, o lateral-direito e meio-campo Edílson e o lateral-esquerdo Júlio Cesar).

O que também vem se refletindo em maus resultados em campo e, consequentemente, tem atraído pouca torcida ao estádio. Mesmo considerando também a luta dos jogadores pela situação que vem passando, como salários e direitos de imagem atrasados.

Em meio ao um turbilhão de coisas acontecendo e, à frente de tudo isso, tendo que dar satisfações, o presidente do Glorioso, Maurício Assumpção, concedeu uma entrevista ao programa Esporte Espetacular (EE), da Rede Globo.

Entre vários assuntos e questionamentos, ele respondeu perguntas como a possibilidade de rebaixamento do time, porque a demissão de alguns jogadores, a interdição do Engenhão e o prejuízo do clube com essa situação.

Assumpção chamou para si toda a responsabilidade pela atual situação do clube e também a culpa por um possível rebaixamento do time nesse ano. Confira à primeira parte da entrevista concedida pelo presidente e que foi exibida no último domingo (12/10):

– EE: A atual fase do Botafogo, como explicar?

– Maurício A.: "A diretoria contribuiu de alguma forma para isso. Porém, o que aconteceu nos últimos cinco anos de mandato é claramente mascarado por esse último ano".

– EE: Porque hoje a situação do Botafogo é mais dramática em relação aos outros clubes?

– Maurício A.: "O problema mais grave é que o Botafogo tem 100% de penhora desde o início do ano. Alguns clubes não têm 100% de penhora".

– EE: Para o presidente de grande clube, como é não ter acesso às receitas e ver seus funcionários sem receber seus salários?

– Maurício A.: "Não dormir, se emocionar, pensar sozinho, chorar. É mais do que desesperador. Isso faria parte do dia a dia de qualquer ser humano na minha situação e não seria diferente comigo".

Por João de Azeredo Gameiro Alvares Calvet

Foto: divulgação


Com a situação do Botafogo cada vez mais complicada na temporada 2014, a chance que o atacante Jóbson vem esperando há algum tempo para voltar a atuar pelo clube carioca se aproxima rapidamente e pode acontecer antes do que se esperava.

O fato é que o Glorioso vive uma crise interna, principalmente financeira, que também reflete no desempenho do time em campo e, consequentemente, na tabela do Campeonato Brasileiro, em que a equipe se encontra na Z4 nesse momento. E que foi complementada pelos recentes acontecimentos como a rescisão de contratos de quatro atletas, pelo presidente do clube Maurício Assumpção.

O próprio técnico Vagner Mancini, apesar de ainda se mostrar reticente quanto à parte física e o quanto poderia render em campo, apostou na qualidade do jogador,  nas suas primeiras entrevistas após assumir o comando do time.

E na última terça-feira (07/10), depois de observar mais alguns treinos, o treinador se animou com a possibilidade de uma reação também da torcida Alvinegra quando ver em campo, talvez, uma de suas últimas esperanças de recuperação nesse ano.

Mancini lembrou, inclusive, da campanha em 2009, quando o atacante foi fundamental e decisivo para salvar o Botafogo do rebaixamento, ou seja, a mesma situação e objetivo de 2014.

"Atualmente, o Botafogo precisa do Jóbson mais do que o Jóbson do clube. Estamos numa situação parecida com a de 2009, quando ele foi decisivo para o clube conseguir se salvar do rebaixamento. A torcida sabe que, apesar de já ter uma certa idade, se ele for bem lapidado, ainda pode ser muito mais valioso. Existe uma enorme ansiedade pela liberação dele e que ele possa render tudo aquilo que nós esperamos, sendo uma peça diferente no elenco. E tem o aspecto do torcedor, que quando ver ele jogar bem, também vai inflamar", disse Vagner Mancini.

O atacante foi reintegrado há três semanas, mas ainda não pôde atuar por causa de uma suspensão imposta pela federação saudita, pelo fato de o atleta ter se recusado a fazer exame antidoping quando jogava no país, e que o clube e o advogado tentam impugnar definitivamente em âmbito internacional.

E apesar de a CBF, através da FIFA, já ter dado uma resposta positiva em relação à punição de Jóbson, o Botafogo ainda precisa de um documento por escrito do STJD. Dessa forma, ele deverá ficar no banco de reservas no próximo jogo contra o Palmeiras hoje (08/10), no Maracanã, válido pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante, de 26 anos, vinha se mostrando tímido perante os novos companheiros nos seus primeiros dias de treinos no clube. Agora, porém, já é fácil vê-lo sorrindo bastante e brincando durante as atividades.

E apesar de seu atual cabelo tingido de loiro lembrando as atitudes do "garoto de outros tempos", o seu comportamento fora de campo tem sido correto.

Por João de Azeredo Gameiro Alvares Calvet

Foto: Satiro Sodré / SSPress


Pela Série B do Campeonato Brasileiro, o Atlético Goianiense tem encontrado dificuldades com a campanha irregular. Nos últimos 4 jogos, o clube venceu duas partidas, empatou uma e perdeu as duas últimas disputadas.

Atualmente, o clube ocupa o 13º lugar e a possibilidade de rebaixamento não foi afastada, uma vez que ainda restam muitas rodadas.

Diante da situação, é comum surgirem algumas cobranças, principalmente com relação a jogadores que não estão rendendo o esperado. A bola da vez é o atacante Josimar (ex Lajeadense – RS). O atacante foi uma das apostas do clube, principalmente do técnico, que tem escalado o jogador como titular desde a partida contra a Ponte Preta. Na ocasião, o jogador saiu do banco no segundo tempo e marcou duas vezes, para decidir o placar a favor do Atlético – GO.

Porém, nas últimas quatro rodadas, o desempenho do jogador não tem correspondido às expectativas e a bela atuação observada contra a equipe da Ponte Preta não se repetiu. O atacante não marcou sequer um gol contra os adversários: ABC, Joinvile, América – RN e Vasco.

Foto: Thiago Martins

Com isso, as críticas que haviam dado uma trégua, voltaram, tanto da parte da torcida como da própria equipe. O treinador Wagner Lopes, em entrevista à Rádio 730, afirmou que espera evolução nas próximas atuações do clube, afinal, o ofício do atacante é marcar gols.

O técnico afirma ainda que confia no trabalho do atleta e que ele sabe como fazer gols, o problema é a tensão, que poderia estar contribuindo para o mal desempenho. Wagner Lopes foi atacante durante 20 anos e conhece bem a posição.

Foto: Thiago Martins

Na partida contra o ABC, o técnico decidiu substituir Josimar por Yago no intervalo da partida. O time evoluiu, pois o jogador aumentou a presença na grande área, contudo, o time pecou ao exagerar nas bolas alçadas na área. As chances apareceram, mas o goleiro Camilo não permitiu que a bola entrasse. 

A próxima partida do Atlético – GO será contra a Portuguesa, no Serra Dourada, às 21h.

Por André César


A 20ª rodada do Campeonato Brasileiro teve início ontem. E logo na primeira rodada do segundo turno, um confronto entre alviverdes chamou a atenção: Coritiba e Chapecoense enfrentaram-se nesta quarta-feira, às 21h (de Brasília), no Couto Pereira.

Depois de ter sido eliminado da Copa do Brasil pelo Flamengo, na semana passada, graças à marcação de dois pênaltis polêmicos durante o tempo regulamentar, resta ao Coxa apenas o Campeonato Brasileiro, em que está na zona de rebaixamento, no 17º lugar. A Chape ocupa a 16ª colocação do Brasileirão, empatada em pontos com o time paranaense. Após empate sem gols entre as equipes no primeiro turno da competição, outra igualdade no placar seria ruim para ambos os lados. Por isso, torcedores esperavam muita entrega e vontade das duas equipes na busca pela vitória, o que de fato ocorreu para o Coritiba, que venceu a Chapecoense por 3 a 0.

Para a partida de ontem, o Coritiba não pode contar com o ídolo Alex, o atacante Geraldo e o volante Germano, que estão machucados. A Chapecoense estava desfalcada de vários atletas: o lateral Rodrigo Biro, que está suspenso, além de André Paulino, Ednei, Rafael Lima Tiago Saletti, Nenén e Fabinho Gaúcho, que estão entregues ao Departamento Médico.

O técnico do time paranaense, Marquinhos Santos, resolveu fechar os portões ao longo da semana para preparar a equipe. Apesar de não dar pistas acerca da formação iria iniciar a partida, o Coxa podia contar com Vanderlei; Norberto, Leandro Almeida, Welinton e Carlinhos; Hélder (ou Rosinei), Gil, Elber e Robinho; Martinuccio e Zé Love.

O técnico da Chapecoense, Celso Rodrigues, também não confirmou a escalação. Existia a possibilidade de uma equipe mais defensiva, com três volantes, ou mais ofensiva, como no empate sem gols, em casa, diante do Goiás. A provável escalação era: Danilo; Fabiano, Grolli, Jaílton e Neuton; Wanderson, Diones (ou Dedé), Abuda, Zezinho (ou Tiago Luis) e Camilo; Bruno Rangel.

O árbitro foi Devarly Lira do Rosário, auxiliado por Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antônio Zanotti – todos do Espírito Santo.

Por Renan Milaré Olivio

Coritiba x Chapecoense

Coritiba x Chapecoense

Fotos: Divulgação


Após uma boa apresentação no segundo tempo, o Atlético Paranaense buscou o empate em 1 x 1 contra o Corinthians. O jogo ocorreu no Estádio do Canindé, somando um ponto importante na classificação do Campeonato Brasileiro 2014. Para Sueliton, o Fucarão desperdiçou uma grande chance de aproveitar o momento de instabilidade do Timão e subir na classificação.

Desta forma, o jogador afirmou que o Corinthians não estava tendo bons momentos e o time também precisava ganhar o jogo. O resultado não foi bom, porque eles esperavam a vitória e precisam dela. Porém, agora tem o clássico. Disse também que não viu mudanças após a saída de Miguel Ángel Portugal ter entrado no comando do time. Com isso, a melhor forma para não cair ainda mais é buscar a melhor pontuação até as proximidades da Copa. Durante o jogo, a participação das duas equipes ocorreu de igual para igual e com o Internacional não há diferença.

O atacante Douglas Coutinho, o qual foi o autor do gol atleticano, entrou na segunda etapa e quase foi o herói da noite. Só não conseguiu essa benesse pelo fato de ter perdido um gol inacreditável dois minutos antes de finalmente balançar as redes. Todavia, só de ter participado da partida, já o deixa ciente de que terá um lugar na equipe. Assim, o principal objetivo do time é lutar pela titularidade e focar em fazer gols nos próximos jogos. Ressalte-se que, tudo ocorrerá de forma que sejam respeitados todos os companheiros da equipe.

Outro diferencial rubro-negro ocorreu com o goleiro Weverton, o qual conseguiu duas grandes defesas no primeiro tempo. O goleiro exaltou o ponto conquistado fora de casa, porém, para o fim de semana a expectativa é que sejam vitoriosos durante o clássico com o Coritiba. Desta vez, o time pretende ir com tudo e levar a vitória para casa.

Por Luciana Viturino

Atletiba

Foto: Divulgação


Na última quarta-feira o Flamengo não conseguiu manter a vitória e terminou empatado com o Bahia por 1 x 1. Diante dessa situação, o meia Everton, afirma que a situação da equipe rubro-negra no Campeonato Brasileiro está péssima. Ao sair de campo, o jogador ainda disse que o time não está conseguindo reagir, embora tenha havido a mudança de treinador. Todavia, se está difícil, está para todos e eles precisam erguer a cabeça para não errar mais.

Durante o jogo o presidente Eduardo Bandeira de Melo voltou a ser alvo de protestos pela torcida rubro-negra, conforme havia ocorrido no último domingo, no Maracanã, durante a partida com o Fluminense. Desta forma, o árbitro apitou o fim do jogo diante do Bahia, em Macaé, após vários torcedores trazerem ofensas contra o dirigente, o qual optou por não comentar o assunto e deixou rapidamente o estádio.

O próximo jogo do Flamengo está marcado para domingo e será realizado contra o Santos, no Morumbi. Os jogadores se reapresentaram na tarde de quinta-feira para avaliação médica e início dos treinamentos. Entretanto, o time precisa reagir e entrar em campo mais motivado, pois isso fará total diferença durante o jogo, além de garantir uma possível vitória. Além disso, os jogadores precisam iniciar o jogo com mais velocidade e força de vontade de vencer. Os passes de bola precisam ser feitos rapidamente para os outros jogadores da equipe. Isso fará total diferença durante a partida.

O time precisa de algumas vitórias para se tornar um diferencial nos próximos jogos. Diante disso, o dirigente pode deixar de sofrer tamanha pressão e contribuir para um melhor aproveitamento da equipe. O fato de ter empatado no último jogo e a pressão sofrida não significa que eles continuarão onde estão. Isso pode ser um ponto positivo para a equipe reagir e tirar gritos de uma torcida feliz com a vitória.

Por Luciana Viturino

Flamengo e Bahia

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo





CONTINUE NAVEGANDO: