Atlético Nacional vs. River Plate na final da Sul-Americana



  

Mesmo sem clubes brasileiros representando o país na Copa Sul-Americana, a competição segue em frente e já teve o primeiro jogo da final. A partida, que aconteceu no Estádio Atanasio Girardot, casa do time colombiano Atlético Nacional, terminou em 1 x 1; o adversário dos colombianos foi o River Plate.

Para chegar até a final, o Atlético Nacional venceu o São Paulo na rodada anterior, após ganhar uma disputa nos pênaltis em pleno Morumbi. O River Plate encarou seu maior rival na semifinal, o Boca Juniors, vencendo por 1 x 0 no jogo de volta, após empatar fora de casa a primeira partida.

Os primeiros minutos de jogo foram de domínio do clube da casa, forçando cruzamentos, ganhando escanteios e inclusive colocando a bola na trave em uma cobrança de falta.

Quando o time do River começou a reagir, o clube da casa aproveitou a abertura e, aos 34 minutos do primeiro tempo, Berrío recebeu a bola vinda de trás, chutou cruzado e inaugurou o placar para o Nacional.

O primeiro tempo terminou com vantagem para os colombianos, porém, na volta do intervalo, o River entrou melhor em campo. Isso acabou culminando no gol de empate aos 20 minutos, com um lindo chute de fora de área de Pisculichi.

Essa foi a segunda vez que o jogador do River salvou seu time, já que foi o autor do gol na partida contra o Boca Juniors que classificou o clube para a final da competição.





Após o gol, o time argentino fechou-se bastante no campo de defesa para impedir que o Nacional marcasse e fosse para o segundo jogo com vantagem. No geral, a partida foi bastante leal, com apenas um cartão amarelo, dado para o zagueiro German Pezzella do River Plate, já quase no final do confronto.

A partida de volta da final acontecerá na quarta-feira, dia 10 de dezembro de 2014, no Estádio Monumental de Nuñez, na Argentina.

Vale lembrar que, na final, o critério "gol fora de casa" para desempate não vale, portanto nenhum time teoricamente tem vantagem. Talvez o River tenha mais chances por jogar em casa, diante de sua torcida, o que foi decisivo na partida da semifinal.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: Reuters / AP



Compartilhar:

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *