Como Estão as Obras para a Copa do Mundo 2014?



  

De acordo com uma nota divulgada no site do Senado Federal, o Brasil possui inúmeras obras atrasadas e queixas por conta de projetos que atrasaram ou ultrapassaram o valor do orçamento inicial.

O destaque fica por conta das queixas na Arena Amazônia, em Manaus (AM), que teve o seu primeiro jogo pós-reforma realizado no começo do mês de fevereiro de 2014. Os visitantes se queixaram e apontaram problemas sérios, como pouco acesso no estacionamento, problemáticas com transporte, falta de infraestrutura às pessoas com necessidades especiais, entre outros.

Em Brasília, ou seja, no estádio Mané Garrincha, a imprensa criticou o poder público pelo aumento do custo para a reforma do estádio. Até hoje já foram injetados no estádio R$ 1,4 bilhões. Atualmente, a arena não está pronta para receber os jogos da Copa do Mundo.

No estádio Mané Garrincha, o público reclama da falta de acesso à internet, fato prejudicial para a infraestrutura dos jornalistas estrangeiros que seguem para cobrir matérias das seleções que jogam na Capital do Brasil. Ainda em Brasília, existe o problema com o atraso nas obras do aeroporto JK (Juscelino Kubitschek), que devem ser concluídas no mês de maio.





No começo do ano de 2014, existiam boatos de que a cidade de Curitiba poderia perder o direito de sediar o evento, em consequência dos atrasos no projeto de reforma da Arena da Baixada. Depois de uma conversa com representantes do Governo Federal, os representantes da FIFA descartaram hipótese de cancelar o evento na cidade.

Belo Horizonte consiste em outra região que sofre por causa dos atrasos nas obras dos aeroportos para a Copa do Mundo. Por exemplo, pouco mais de 80% da reforma do aeroporto de Confins está completo. O poder público garante que a estrutura vai funcionar na data em que espera a FIFA.

Por Renato Duarte Plantier



Compartilhar:

1 comentário em “Como Estão as Obras para a Copa do Mundo 2014?

  • · Editar

    O Brasileiro, é muito acomodado, a FIFA não sabe mais a quem apelar, está totalmente decepcionada.

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *