Jogo Fluminense x Ponte Preta – Melhores momentos



  

A cada rodada que passa o Fluminense vai se aproximando mais do título do Campeonato Brasileiro. Na noite deste domingo, não foi diferente. Assim como o Atlético Mineiro, que mais cedo havia virado sobre o Sport, o Fluminense conseguiu uma grande virada contra a Ponte Preta e se manteve com uma boa vantagem na liderança da competição.

A partida começou de maneira surpreendente. Logo no primeiro minuto, a Ponte marcou seu gol. Luan, em belo chute de fora da área, encobriu Diego Cavalieri e abriu o placar. Assustado, o time das Laranjeiras quase tomou o segundo aos 7 minutos, mas Roger jogou para fora. A partir daí, o Fluminense começou a tomar conta da partida. Fred e Wagner, duas vezes, tiveram chances de empatar para o Fluminense. Sem conseguir jogar, a Ponte tentava se segurar para sair para o intervalo com a vantagem. O Fluminense continuou pressionando, mas Edson Bastos garantiu o 1×0 no placar até o fim do primeiro tempo.

A pressão exercida na segunda metade do primeiro tempo continuou na segunda etapa. Wellington Nem apareceu bem outra vez aos 9 minutos, mas Edson Bastos fez outra boa intervenção. Aos 17 minutos, foi a vez de Jean fazer o goleiro da Macaca trabalhar. Bastos voltou a fazer milagre aos 20 minutos, em chute de Carlinhos.

Se o jogo já estava difícil com todos em campo, as coisas ficaram ainda piores quando a Ponte teve o volante o Wendel Santos expulso. A pressão carioca se intensificou. Fred quase marcou de falta aos 30 minutos. Quatro minutos depois, de pênalti, o atacante conseguiu balançar as redes e empatar a partida. Foi o décimo quinto gol de Fred no Campeonato.





Edson Bastos continuava fazendo milagres. Aos 37 e 41 minutos, o goleiro salvou a Ponte de levar a virada. Porém, aos 43 minutos, nada pôde fazer. Wagner cobrou falta e Gum cabeceou, estufando as redes e decretando a virada do Fluminense.

Com a vitória, o Fluminense, líder, chegou a 68 pontos, nove a mais que o segundo colocado. A Ponte Preta fica com 37, na 13ª posição.

Por Augusto Cesar



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *