Campanha do Santos no Campeonato Brasileiro 2012 – Análise



  

O início da temporada começou como um sonho para o Santos, mas o momento atual é de bastante apreensão. Após a conquista do Campeonato Paulista, o clube teve de lidar com muitos baques e não tem mostrado poderio suficiente para conseguir uma classificação honrosa no Brasileiro, onde tem figurado no máximo entre os dez primeiros.

No último revés da equipe, que aconteceu no sábado contra a Portuguesa, o técnico Muricy Ramalho mostrou desconforto na entrevista coletiva realizada após o jogo. Quando perguntado se o grupo estava sofrendo em campo devido à falta de treinos específicos, o comandante do Peixe não pensou duas vezes antes de destilar toda a sua fúria.

"Se assistissem aos treinos, não garanto que entenderiam. E quando faço vocês ficam fora, lá na rua", disse o treinador, lembrando que nos momentos de jogadas ensaiadas e situações de posicionamento os jornalistas não são liberados para acompanharem os lances.





O descontrole de Muricy também se dá devido aos baques do ano. O primeiro foi a eliminação da Copa Libertadores pelo Corinthians, depois os problemas pessoais e técnicos de jogadores que acabaram deixando o clube (casos de Elano, Borges e Ibson). Isto, sem falar na venda de alguns jogadores (como a saída praticamente obrigada de Ganso para o São Paulo) e a chegada de outros que ainda não se encaixaram no elenco (como João Pedro e Bernardo). Não bastasse isso, o clube ainda sofre com as lesões de alguns jogadores importantes, como Adriano e Henrique.

Para completar, ainda existe a "Neymardependência" do Alvinegro Praiano. De acordo com os números do Globo Esporte, sem Neymar o Santos ganhou apenas 18 de 51 pontos disputados. Ou seja, um pífio aproveitamento de 25%.

Por Thiago Viana



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *