Figueirense x Cruzeiro – Gols e Melhores Momentos do Jogo



  

Em um jogo como o da última quarta-feira, se enfrentaram dois times muito diferentes em todas as concepções da palavra no Campeonato Brasileiro. O Figueirense iniciou a 24ª rodada como vice-lanterna, flertando diretamente com a zona da degola e com o anseio único de recuperação o quanto antes. Já o Cruzeiro poderia até mesmo ficar colocado ao G-4 em caso de resultado positivo. Entretanto, as últimas rodadas condizem realmente com os momentos atípicos de cada um destes rivais. Resultado? 2 a 0 para Figueira e o sonho de dias melhores à frente. Já a Raposa vai descendo a ladeira.

Nos últimos dois jogos, antes deste, o time de Florianópolis acumulou um empate e uma vitória, enquanto que a Raposa saiu de campo derrotada ambas as vezes. Na escalação, também víamos a disparidade. Enquanto o técnico Márcio Goiano tentou (com as peças que tem) colocar um time para frente, o comandante do selecionado celeste entrou em campo com apenas um atacante, além de improvisações nas duas laterais.

Mesmo com as improvisações em campo, o Cruzeiro lutou. Pouco produziu, é verdade, mas tentou. Wellington Paulista teve algumas chances e poderia ter aberto o placar se tivesse um pouco mais de agilidade na hora da conclusão. Por sua vez, dos pés de Ronny (como o jogador pensante do alvinegro) eram iniciadas algumas boas armações por intermédio do time da casa. Aloísio, porém, não esteve em uma boa noite e mostrou deficiências técnicas na frente sem conseguir levar muito perigo.

Em um jogo parelho, o primeiro gol aconteceu em jogada de bola parada. Aos 34 minutos, o zagueiro João Paulo mandou um petardo sem defesa para Fábio. A pelota passou pela barreira e entrou no ângulo. No minuto seguinte, em jogada individual, Montillo tentou o empate e a bola caprichosamente resolveu passar rente a trave. Aos 45 minutos, ao tentar enfeitar, o argentino perdeu nova chance após falhar no anseio por driblar o guarda-redes adversário ao invés de definir o lance de forma objetiva.





Wilson foi um dos grandes nomes da segunda etapa. Ele salvou a pátria em boas situações criadas por Souza e Montillo. Além disso, ainda viu uma cabeçada de Wellington Paulista parar no travessão. O Cruzeiro lutava pelo empate, mas faltava a bola entrar. E a situação só piorou quando, aos 31 minutos, Léo foi expulso. E o tiro de misericórdia veio aos 40 minutos. De cabeça, Aloísio deu números finais ao duelo.

Com a vitória, o Figueira chega aos 22 pontos e segue na árdua luta para continuar na elite. Por sua vez, o time celeste mostra perda de fôlego e, estacionado nos 34 pontos, correrá em busca da retomada rumo às primeiras colocações.

Por Thiago Viana



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *